Regulamentação

Japão: novo amigo das criptomoedas

Postado por em 2 de outubro de 2017 , marcado como , , ,

Setembro foi um mês cheio de notícias que abalaram o preço do Bitcoin e outras criptomoedas, incluindo a proibição das ICO (Initial Coin Offer) na China, seguido pelo mesmo anúncio vindo Coréia do Sul. No entanto, parece que ainda há boas notícias vindas do oriente.

No último 29 de setembro, a Agência de Serviços Financeiros do Japão aprovou 11 empresas para operarem como casas de câmbio de criptomoedas. O país tem exigido este registro das exchanges desde 1 de abril deste ano, quando o Bitcoin foi oficialmente reconhecido como um ativo financeiro (e não uma moeda) em seu território.

O registro garante confiabilidade para as empresas em questões como proteção de ativos dos usuários, segurança e combate a lavagem de dinheiro.

Outras 17 empresas estão aguardando a aprovação da agência japonesa. Yuzo Kano, CEO da bitFlyer, uma das companhias aguardando o registro, acredita que “o novo regulamento cimenta a posição do Japão como o epicentro do bitcoin”.

Iene lidera

Com o apoio que o Japão tem dado as criptomoedas, hoje o iene representa a maior fatia no volume de transações com bitcoin, 53%, seguido pelo dólar (25%), a moeda coreana Won (10%) e o euro (4,6%), segundo o site CryptoCompare. Há apenas algumas semanas atrás, figurava entre 46-47% e registrou um forte crescimento com as proibições da China.