Mercado

Venezuela arrecada US$ 735 milhões com lançamento da criptomoeda Petro

Postado por em 21 de fevereiro de 2018 , marcado como , , , , ,

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, informou que o país arrecadou US$ 735 milhões  no primeiro dia de venda da criptomoeda Petro.

(Foto: Reuters / Marco Bello)

O anúncio foi feito em sua conta no twitter no final da noite de terça-feira, através de sua conta oficial. “Para grandes problemas, grandes soluções. Desde o primeiro minuto o jogo começou bem e começamos ganhando 4.777 de yuans ou 735 milhões de dólares é o resultado inicial das operações de intenção de compra do Petro”

A Reuters e a Associated Press não divulgaram informações sobre quem investiu na pré-venda da criptomoeda proposta por Maduro, que escreveu notas otimistas sobre a iniciativa.

O objetivo do presidente venezuelano é contornar as sanções econômicas impostas pelo governo dos Estados Unidos, conforme já noticiado no portal Criptoeconomia em Dezembro do ano passado.

“Hoje, uma criptomoeda está nascendo e poderá conter o Superman”, disse Maduro ao Reuters, se referindo aos EUA por meio do personagem de quadrinhos. “Nós demos um passo gigante no século 21”. A pré-venda lançada na terça-feira está prevista para durar até o final do próximo mês.

Venezuela é o primeiro país a lançar sua proporia criptomoeda

Como foi reportado anteriormente, o governo da Venezuela respaldará o token do Petro em um único barril de petróleo e associado ao mercado do dia anterior. No entanto, ainda existem dúvidas sobre a rede em que o token irá operar, uma vez que um documento divulgado hoje destaca a rede Ethereum, enquanto outro, que constitui o guia do comprador, cita um sistema alternativo de blockchain chamado NEM.

Deixando os detalhes conflitantes de lado, o plano da Venezuela representa a primeira vez que um país se moveu para emitir sua própria criptomoeda. A proposta levou o país às manchetes globais e provocou rejeições de políticos tanto de dentro quanto de fora do país.

Os críticos, inclusive os políticos de oposição que controlam o Congresso da Venezuela, atacaram o plano como um ato ilegal e um veículo de corrupção. Senadores dos Estados Unidos demonstraram preocupações sobre o projeto, criado para evitar as medidas austeras impostas pelo país norte americano. Como isso será visto na prática? Só o futuro dirá.

Fonte: CoinDesk