Geral

“Se todo mundo sacar o que tem no banco não tem dinheiro para todo mundo”, diz deputado

Postado por em 10 de junho de 2021 , marcado como ,

“Se todo mundo sacar o que tem no banco não tem dinheiro para todo mundo”, diz deputado federal em bate papo sobre criptomoedas.

Deputado federal comenta momento do Bitcoin

Aureo Ribeiro (SD-RJ), deputado federal, autor de projeto de lei que pede a regulamentação das criptomoedas no Brasil, comentou a decisão recente de El Salvador.

O país da América Central acabou de oficializar o Bitcoin como moeda oficial do país.

Assim, o movimento demonstra algo da seriedade que o Bitcoin representa.

Um passo importante para as criptomoedas

O deputado deu uma entrevista ao canal Dash Dinheiro Digital, comandado pelo apresentador Rodrigo Ambrissi.

Nela, Aureo Ribeiro declarou que a aceitação do Bitcoin em El Salvador foi um passo importante.

Assim, segundo o deputado, esse passo demonstrou o potencial da criptomoeda em todo o mundo.

Ribeiro declarou que o Bitcoin chegou para ficar em todo o mundo e que isso não é diferente no Brasil.

Além disso, Aureo ressaltou que a tendência da economia a desmaterialização do dinheiro.

Dinheiro já é digital e não há moeda para todo mundo sacar suas economias

Assim, ele destacou que hoje o dinheiro já é digital.

Portanto, não haveria dinheiro físico para atender a demanda de toda a moeda circulante na economia.

Em suas palavras,

“O Bitcoin veio e veio para ficar… Já é transacionado em todos os países e tem uma movimentação financeira expressiva no Brasil…. o dinheiro será cada vez mais digital e hoje mesmo se todo mundo sacar o que tem no banco não haveria dinheiro físico para cobrir toda a demanda”, disse.

Projeto de lei “libertário” busca sacar investimentos ao país

O Deputado também afirmou que o PL das criptomoedas tem hoje um texto muito maduro e consolidado nas casas do Legislativo nacional.

“Eu mesmo conversei com os demais deputados explicando aspectos desse mercado e como devemos ter uma regulamentação libertária para esse mercado criando segurança jurídica para os investidores do pais”, afirmou.

Regulamentar não é sinônimo de taxar

Ainda segundo Ribeiro, tanto o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) quanto a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), como Banco Central, Receita Federal e até o Governo do presidente Jair Bolsonaro já reconhecem a importância das criptomoedas.

“O que falta é tornar o reconhecimento em lei para garantir segurança para todo o mercado. Regulamentar não é taxar é fazer reconhecimento do ativo para que você possa pagar seus itens com Bitcoin seguindo as leis e garantias do país”, finalizou.

A regulamentação do Bitcoin no Brasil deve ocorrer esse ano

Ainda de acordo com o Deputado, o texto que pede a regulamentação do Bitcoin no país deverá ser aprovado até o final de 2021.

Caso aprovado na Câmara o projeto ainda precisará de aval do Senado.

Todavia, segundo Ribeiro, já há um entendimento positivo entre os Senadores sobre o projeto e os pontos defendidos nele.

Além disso, Ribeiro destacou que não deve haver impedimento no Senado para aprovação do projeto.

Assim, depois desses trâmites o projeto então seguirá para sanção presidencial.

“Não vamos terminar 2021 sem ter um projeto aprovado para implementação no próximo ano”, garantiu Aureo.

Para um guia sobre como comprar Bitcoin, clique no link!