Casos de uso

Golpistas “disfarçados” de Elon Musk roubam quase US$ 170 mil em criptomoedas no Twitter

Postado por em 6 de novembro de 2018 , marcado como , , , , , , , ,

Nas últimas horas pelo menos três contas verificadas foram pirateadas e rebatizadas com o nome do fundador da Tesla e da SpaceX, Elon Musk. Os perfis comprometidos foram usados em um conhecido golpe de criptomoedas que arrecadou quase US$ 170 mil, de acordo com a CoinDesk.

Golpistas “disfarçados” de Elon Musk roubam quase US$ 170 mil em criptomoedas no Twitter

(Foto: http://bit.ly/2jw4oqs)

Para dar credibilidade ao esquema, os golpistas alteraram o nome e a fotografia dos perfis invadidos e, em seguida, replicaram algumas mensagens da verdadeira conta de Musk.

A fraude consistia na divulgação de mensagens em que o empresário promete doar 10 mil Bitcoins para os usuários que, em contrapartida, enviassem entre 0,1 (US$ 641,37) e 2 Bitcoins (US$ 12.827) para uma carteira indicada.

Em poucas horas, os criminosos conseguiram arrecadar quase US$ 170 mil, por meio de 326 transações.

Um das contas fraudadas foi o perfil de um estúdio de cinema do Reino Unido, Pathé UK (@patheuk), que divulgou o esquema de brindes em nome do empresário.

“Eu estou dando 10 mil Bitcoic (BTC) para toda a comunidade. Eu deixei o posto de diretor da Tesla, obrigado pelo suporte de todos! Eu decidi fazer a maior doação de criptomoedas do mundo, para todos os meus seguidores que usam Bitcoin.”

Mais tarde, o estúdio confirmou a invasão da conta por terceiros e lamentou o ocorrido:

“Foi publicada uma série de tweets não autorizados pelos quais pedimos desculpas. O problema foi resolvido e já controlamos a conta novamente”.

Casos recorrentes

Esta não é a primeira vez que o fundador da Tesla é posto como isca para a ludibriação de usuários desavisados. Em meados de outubro desse anos, Musk foi indevidamente envolvido em um esquema semelhante.

Além da conta em questão ser verificada, o incidente chamou a atenção, principalmente,  porque o anúncio do golpe foi circulado em um tweet pago — geralmente usados por um anunciante para atingir um público mais amplo, aproveitando as tendências de pesquisa.

Considerado um dos mais visados para golpes online, Musk não é a única figura pública envolvida em situações como essa. Em janeiro o twitter presenciou uma grande quantidade de contas mascaradas como Charlie Lee, fundador do Litecoin, onde eram promovidas ofertas mentirosas com a criptomoeda.

Pavel Durov, CEO do Telegram também alertou sobre falsos golpistas que se apresentavam em seu nome para arrecadar moedas digitais.

Imagem ruim

Após meses de reclamações, o Twitter melhorou seu algoritmo e, em junho, anunciou novas medidas contra golpes e mensagens de ódio.

Desde então, a maioria dos casos fraudulentos desapareceu e por mais de dois meses os usuários da plataforma não viram divulgações de brindes relacionados às criptomoedas.

No entanto, o recente evento demonstra que as medidas ainda contêm falhas e precisam ser revistas, mais uma vez.

loading...