Geral

Golpe: Minerworld se livra de Processo Estadual, mas Federal Continua

Postado por em 14 de setembro de 2020 , marcado como , , , ,

A Minerworld foi uma empresa envolvida com Criptomoedas no passado que veio a falir, acusada de ser uma pirâmide financeira que lesou a economia popular.

Dessa forma, a empresa sofreu várias ações na Justiça Brasileira quando não conseguiu honrar com seus compromissos.

Em decisão recente, o Ministério Público do Mato Grosso do Sul (MPMS) decidiu arquivar procedimento para apurar o prejuízo deixado pela suposta pirâmide.

A decisão, por sua vez, não extingue o processo que ainda corre na Polícia Federal a respeito do caso.

A decisão da 43ª Promotoria de Justiça do Consumidor da comarca de Campo Grande foi publicada na última quinta-feira (10) no Diário Oficial do Estado do Mato Grosso do Sul.

Operação Lucro Fácil

A Operação Lucro Fácil ocorreu em 2018 e foi a responsável pela desarticulação da Minerworld.

Frise-se que empresa prometia rentabilidade com supostas operações com Bitcoin, trade e mineração de BTC.

Todavia, muitos suspeitam que era tudo fachada para a operação de um esquema fraudulento.

Também, foram alvo da operação as empresas Bit Ofertas e Bitpago.

Minerworld suspeita de pirâmide financeira

O promotor público responsável pela Ação Civil Coletiva, Luiz Eduardo Lemos de Almeida, indicou que a Minerworld deixou prejuízo aos consumidores de até R$ 300 milhões.

Todavia, ele admite que há o risco de não haver patrimônio suficiente para ressarcir as pessoas nesse montante.

Até o mês de junho, a Justiça somente conseguiu bloquear R$ 43 milhões ligados à empresa de alguma coisa.

A suspeita é que a empresa mascarava uma pirâmide financeira que veio abaixo quanto o golpe se tornou grande demais.

Bitpago e BitOfertas

Houve nos autos um pedido dos sócios da Bitpago Soluções de Pagamento LTDA. e Bit Ofertas Informática LTDA-ME para serem excluídos do processo aberto pelo Ministério Público contra a Minerworld. O juiz indeferiu o pedido.

Dessa forma, a Justiça não aceitou os argumentos oferecidos pelos sócios da Bit Ofertas e da BitPago.

A Justiça ainda determinou que tais empresas sejam mantidas como réus no processo o que, eventualmente, pode significar bloqueio de bens e valores para ressarcir as vítimas.

O entendimento foi de que o MP conseguiu configurar que as empresas eram parte de um todo que participou do suposto golpe.

Quanto a promessa é demais o santo desconfia

Empresas que apresentam prometendo lucros exorbitantes com criptomoedas, em geral são golpes disfarçados.

Mas isso não quer dizer que seja impossível ganhar muito dinheiro nessa área.

Mas é importante saber que para que isso as pessoas envolvidas precisam entender como funciona essa tecnologia e esse mercado, coisas que poucos estão dispostos a fazer.

Aliás, mesmo quem entende da tecnologia e do mercado pode ter prejuízos, uma vez que estamos tratando de um mercado de alto risco de renda variável.

Arquivamento não traz alívio à Minerworld

Apesar do Conselho do Ministério Público Estadual do Mato Grosso do Sul (MPMS) ter decidido arquivar o processo aberto contra a Minwerworld, os problemas não terminaram.

Todavia, o processo em âmbito Federal e conduzidas pelo Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal, (PF) e Justiça Federal, ainda está em aberto e será levado até o fim.

Inclusive, um dos argumentos do MPMS para o arquivamento do processo é justamente a existência de investigações em nível Federal.

Assim, resta às vítimas aguardarem as decisões judiciais para receberem algum ressarcimento em cima do que perderam com a empresa.

Para comprar Bitcoin com segurança, clique aqui!