Geral

O Golpe do Bitcoin alugado, não caia nessa!

Postado por em 6 de janeiro de 2021 , marcado como , ,

O Golpe do Bitcoin alugado é a mais nova forma que pessoas inescrupulosas estão usando para surfar a onde da alta do Bitcoin.

Sempre que vivemos um período de fortes altas no Bitcoin, temos que redobrar nossa atenção quanto a golpes no mercado de criptomoedas.

Isso se deve ao fato de que nesses momentos as pessoas ficam mais propensas a dar atenção ao tema e se tornar mais facilmente alvo de golpistas.

Bitcoin alugado? Fuja!

Com o Bitcoin batendo suas máximas históricas praticamente a cada semana desde novembro do ano passado, o interesse em torno da criptomoeda tem sido grande no Brasil e no mundo.

Por isso, assim como em altas anteriores como de 2017, as altas vêm atraindo investidores pela possível oportunidade de “fazer dinheiro”.

Essa disposição é um prato cheio a golpistas que tentam levar vantagem dos outros em uma hora como essa.

A última forma de tentar ludibriar as pessoas é a ideia do “Bitcoin alugado”

O golpe funciona basicamente na mesma direção das chamadas pirâmides financeiras.

O “investidor” precisa fazer um aporte inicial, em Bitcoin e, de acordo com o tamanho do investimento realizado é prometido a ele um retorno fixo mensal de 4-6%. Seria tentador se não fosse claramente um golpe.

Não existe rentabilidade garantida em Bitcoin. Como os golpistas poderão garantir que o bitcoin vai subir ou cair para fazerem lucro? Sem essa certeza como podem prometer percentuais? Como aumentar a quantidade inicial de bitcoins em um mercado em forte alta? Nada disso faz sentido.

Não caia no golpe do Bitcoin alugado

Em geral, esse tipo de promessa é apenas uma forma de atrair as pessoas a comprarem bitcoin e enviarem a pessoas inescrupulosas que pagarão os supostos dividendos dos primeiros investidores com os valores dos demais.

Quando o esquema deixar de atrair pessoas o suficiente para se manter e prosperar eles dirão que foram hackeados e deixarão de pagar os clientes.

O script é bem conhecido, a ponto de permitir com que nós jornalistas nos transformemos em profetas.

O mais bizarro é que já vimos esse tipo de “profecia” se cumprir recorrentemente.

Uma das formas que os golpistas têm de perpetuar o golpe é alugar o Bitcoin da pessoa por uma grande quantidade de tempo.

Assim, a pessoa demora a perceber que nunca irá recuperar seu “investimento” 100%.

Geralmente, as pessoas/empresas que oferecem esse tipo de serviço não dão garantia do retorno do investimento inicial.

Ou seja, a criptomoeda ‘alugada’ é doada pelo investidor que ‘abre mão’ de seus criptoativos para receber um rendimento mensal sob a promessa de lucro.

Esse modelo por detrás do golpe do Bitcoin alugado pode dificultar as ações judiciais que poderão vir após o esquema não mais se sustentar.

CVM alerta contra golpes em geral

A Comissão de Valores Mobiliários, CVM, já foi notificada das supostas fraudes envolvendo o aluguel do Bitcoin e alertou aos possíveis investidores sobre os cuidados ao analisar qualquer proposta de investimento.

Dentre as principais questões que devem chamar a atenção dos investidores, as principais são as seguintes:

  1. Há promessa de alta liquidez, com a possibilidade de saques semanais ou até mesmo diários;
  2. A adesão à oferta normalmente requer a indicação de um “patrocinador”, isto é, a pessoa à qual o novo participante ficará vinculado, posicionando-se imediatamente abaixo dela na pirâmide;
  3. Essas propagandas de investimentos, operações ou negócios podem fazer menção a diferentes ativos e mercados, tais como o de moedas (Retail Foreign Exchange ou Forex), ações e outros ativos negociados em bolsa de valores, opções binárias, criptomoedas (bitcoins, Ethereum, etc.), títulos públicos (NTN-A ou Letras Tesouro Nacional – LTN, supostamente emitidas nos anos 70 e sob a forma impressa ou cartular), ativos florestais (mogno, eucalipto, etc.), ouro, diamantes, criação e engorda de animais (boi, avestruz, etc.); cotas de participação em franquias, empresas, fundos ou clubes de investimento;
  4. Há pouca informação sobre a empresa ofertante, o produto, o serviço, o suposto negócio ou o investimento; empresa, projeto, negócio ou empreendimento novos, sem histórico verificável;
  5. Verifique se há reclamações nos Órgãos de Defesa do Consumidor (PROCON) ou em sites especializados, como o Reclame Aqui;

Porque Bitcoin alugado não é uma boa ideia

A ideia de alugar seu bitcoin não é positiva, uma vez que você perde o controle de seu ativo digital.

Assim, em caso de queda ou alta você fica sem condições de tomar sua própria iniciativa para lucrar ou se proteger.

Portanto, o Bitcoin nasceu para dar liberdade e soberania financeira às pessoas, e não para que elas colocassem seus valores nas mãos de outras pessoas.

Para um guia sobre como comprar Bitcoin, clique aqui!