Investimentos Tecnologia

De olho no futuro: Google criará seu próprio blockchain

Postado por em 23 de março de 2018 , marcado como , , , , , , , , ,

O Google tem assistido startups encabeçando vários projetos voltados para a tecnologia descentralizada, para não perder a dianteira está planejando criar seu próprio blockchain e oferecer serviços de nuvens e transações por meio dele, relatou o Bloomberg.

Google lançará blockchain próprio

(Foto: Pixabay)

“A unidade Alphabet Inc. está desenvolvendo seu próprio livro digital distribuído, que terceiros podem usar para publicar e verificar transações”, comentou um representantes. A plataforma de nuvens oferece vários produtos em computação, armazenamento, rede e outras ferramentas.

Enquanto a empresa promete segurança através do Identity-Aware Proxy e múltiplas fontes de autenticação, a rede de computação centralizada ainda representa uma ameaça para seus usuários. Dessa forma, ao utilizar a tecnologia do blockchain o Google pretende trazer ainda mais segurança para sua infraestrutura,

O Google apostou vem apostando em startups de Blockchain o que o posicionou no segundo lugar na lista de “investidores corporativos mais ativos” da CBI Insights. No entanto, a companhia não divulgará detalhes sobre o novo conceito tão cedo.

Um porta-voz do Google explicou que “como muitas novas tecnologias, nós temos indivíduos em várias equipes explorando usos potenciais do blockchain, mas ainda é muito cedo para especularmos sobre possíveis aplicações ou planos”.

Pessoas próximas ao Google revelam que a empresa está investigando novas formas de utilizar o blockchain online. Isso leva a muitos casos de uso que já foram adotados por startups e outras indústrias.

Google se preocupa com competição acirrada

A ferramenta de Internet das Coisas (IoT) do Google e o navegador Chrome foram superados pela empresa chinesa de e-commerce Alibaba e pela startup de blockcahin Brave.

A Alibaba recentemente assinou um acordo com um instituto de pesquisa em IoT para lançar um blockchain voltado para serviço de Internet das Coisas.

Já a Brave é um navegador de web criado no blockchain do Ethereum que conecta anunciantes, editores e leitores através do token Basic Attention Token (BAT).

De fato, a plataforma construída pelo antigo CEO do Mozilla, Brendan Eich, levantou US$ 35 milhões em 30 segundos.

Se o Google planeja desenhar um navegador melhor para os usuários, não está claro como a empresa planeja resolver a questão do redirecionamento.

Esse problema é o responsável por você continuar vendo anúncios que lembram as compras que não finalizou ou os sites que você visitou recentemente.

Por outro lado a Brave promete aos usuários manter o anonimato bloqueando o rastreamento dos cookies e permitindo apenas anúncios aprovados.

Os usuários tem a opção de receber pagamentos pela ativação de anúncios através dos tokens da BAT.

Na semana passada, O Google restringiu publicidade relacionada as criptomoedas, já que estava sendo utilizada para atividades prejudiciais ao usuário. “Já presenciamos muitos danos aos consumidores e por isso queremos abordar essa área com extrema cautela”, defendeu Scott Spencer, diretor de anúncios sustentáveis do Google.

Fonte: CCN