Geral

80% de criptomoedas hackeadas são recuperadas por Exchange

Postado por em 11 de novembro de 2020 , marcado como ,

A exchange de criptomoedas KuCoin recuperou a maioria das criptomoedas hackeadas no valor de cerca de US$ 280 milhões em setembro, disse o CEO da empresa.

Johnny Lyu, cofundador e CEO da KuCoin, anunciou em 11 de novembro que a exchange já recuperou até o momento 84% dos ativos roubados.

Moedas Kackeadas foram recuperadas com ajuda de várias ações

Lyu disse à imprensa que o processo de recuperação envolveu “rastreamento na blockchain, atualização de contratos e ações de recuperação judicial”.

O executivo também declarou que a exchange publicará mais detalhes sobre o reembolso dos clientes assim que o caso for encerrado.

Assim, a KuCoin já retomou os serviços completos para negociação de 176 tokens em sua plataforma.

Exchange voltará a funcionar normalmente até final de Novembro

O executivo também disse que os serviços para as moedas restantes estão programados para serem reabertos até 22 de novembro.

Como relatado anteriormente, a KuCoin tem um total de 230 ativos negociáveis ​​em sua plataforma.

Ao divulgar a notícia no Twitter, Lyu não especificou a quantidade exata de ativos perdidos no hacking.

À época a KuCoin estimou inicialmente as perdas de usuários em US$ 150 milhões.

Todavia, Chainalysis, empresa que trabalha na área de rastreio de criptomoedas,  posteriormente estimou as perdas em cerca de US$ 275 milhões.

Moedas Hackeadas incluem Bitcoin, Etherem e Tokens ERC-20

Lyu afirmou que a violação tinha afetado online contendo tokens Bitcoin (BTC), Ether (ETH) e tokens ERC-20.

Um grande número de tokens ERC-20 roubados foram posteriormente congelados por grandes projetos de criptomoedas em um esforço para evitar retiradas indevidas dos valores roubados.

No início de outubro, Lyu anunciou que os executivos da KuCoin conseguiram encontrar os suspeitos do hack com “provas substanciais disponíveis”.

Medo de ter Moedas Hackeadas deveria ser menor do que medo de governos e bancos

Diante da recuperação dos valores roubados da Kucoin em mais de 80%, uma intrigante questão sobre segurança surge aqui.

Muitas pessoas tentam emplacar uma narrativa de que as criptomoedas não são seguras dada a possibilidade de ataques hackers, mas algumas coisas devem ser consideradas.

Quem foi hackeada foi uma instituição intermediária e não as criptomoedas em sim.

A tecnologia blockchain é transparente e pode auxiliar, e muito, a identificação dos criminosos.

Quando governos ou bancos lesam as pessoas, é muito mais difícil identificar e punir os responsáveis do que em casos de ataques hackers.

Quais governantes ou banqueiros já foram condenados por práticas que lesam a economia das pessoas através de inflação e práticas abusivas de toda sorte? Pouquíssimos.

Dessa maneira, a mudança do paradigma social que as criptomoedas podem trazer não deve ser desconsiderada por medo de ataques cibernéticos.

Naturalmente, há ações que as próprias pessoas podem fazer, como não deixar suas moedas em exchanges após comprá-las.

Também as próprias empresas se atualizam dia e noite para tentar prevenir e coibir ataques.

Todavia, ainda assim trabalhar na melhoria da implementação da segurança do ecossistema das criptomoedas é mais promissor do que confiar na ilusória segurança vendida pelos governos e bancos.

Para um guia sobre como comprar Bitcoin, clique aqui!