Casos de uso

eSports: A revolução blockchain na indústria dos jogos online

Postado por em 18 de maio de 2018 , marcado como , , , , ,

Neste momento vivemos um tipo de boom tecnológico. Dessa vez é o boom do blockchain. Assim como a internet mudou todos os aspectos do mundo moderno, muitos acreditam que a tecnologia blockchain se constituirá como o próximo marco revolucionário.

O blockchain não apenas altera as normas de diversos setores, como também desafia as organizações a repensarem como implementar novos projetos.

Aqui no Portal Criptoeconomia, já abordamos os usos dessa tecnologia no campo financeiro, musical, de alimentos e de recursos humanos, por exemplo. Hoje, nós abordaremos a sua relação com a indústria dos games.

(Foto: Pixabay)

O mundo dos eSports – ou esporte eletrônico – experimentou um crescimento exponencial nas últimas décadas.

Para quem não está familiarizado com o termo, essa modalidade de jogo nada mais é que uma competição profissional de videogame, em tempo real.

Então, considerando que os jogos online foram os pioneiros no uso de algumas das primeiras versões de criptomoedas, não é surpresa que esta indústria já venha adotando a tecnologia blockchain.

Segundo o portal TechCrunch, “a indústria de eSports de fantasia vale mais de US$ 7 bilhões”. E a medida que o blockchain se torna popular é possível observar a proliferação de muitas plataformas baseada na tecnologia.

Quer um exemplo? A plataforma de eSpot FirstBlood atraiu, em menos de 5 minutos, US$ 5,5 milhões com o lançamento de sua ICO. Isso definiu o plano para muitos outros projetos relacionados ao campo dos jogos, como o Skincoin, Round, MobileGo e o Peerplace.

“Entendemos que a tecnologia blockchain é o futuro que já chegou, quer você queira ou não e nós temos que aceitar isso. Por exemplo, o mundo dos games está agora à beira de toda uma transformação, porque os novos projetos baseados em blockchain estão mudando as regras do jogo”, comentou Oleksandr Sushko, CEO do projeto FLUX para a Medium.

Mudando as regras do jogo

O FLUX é um projeto ucraniano voltado para jogos com ambições gigantescas. Esta plataforma pode ser descrita como um serviço de matchmaking que permite que os jogadores compitam uns com os outros, estabelecendo premiações por cada jogo.

(Foto: Carl Scheffel/MSG Photos)

Os recursos exclusivos da plataforma possibilita aos desenvolvedores de jogos online competitivos adicionar seus produtos à plataforma FLUX e disponibiliza-los para competição. Com isso, os desenvolvedores recebem 50% do lucro da plataforma em ceda sessão do seu jogo.

“Cada jogo competitivo pode ser monetizado. Estamos interessados em ajudar os jogadores e desenvolvedores a ganharem juntos, pois um não se beneficia sem o outro. O objetivo principal é criar uma plataforma global que permite que todos ganhem conosco, seja você um player, um desenvolvedor, um comerciante ou streamer”, ponderou Eugene Shabalkin, gerente de produtos do FLUX.

 Os ganhos nessa indústria não param por aí. Empresas como a MyDFS permitem que os usuários recebam tokens com base no seu desempenho como jogador ou apostem na desenvoltura de outros jogadores.

Como esclarece o site da empresa, a plataforma MyDFS não foi criada apenas para os fãs dos games, “mas também para usuários casuais que queiram ‘contratar’ jogadores profissionais para ganhar uma liga de fantasia”.

Com tantas transformações e novidades à vista, a indústria de games é mais uma a abraçar a “blockchenização” mundial, e em breve verá outras reformas neste mercado, que reverterão todas as tendências atuais.