Geral

Visa adquire seu primeiro NFT e inclui o CryptoPunk em sua coleção retrô

Postado por em 26 de August de 2021 , marcado como

CryptoPunks são artes em pixel com característica própria e segundo a Visa, os NFTs são o futuro do comércio.

A empresa Visa (VISA34), autoridade em tecnologia de pagamentos, anunciou sua entrada para o mundo do comércio de NFTs (sigla em inglês para tokens não fungíveis).  O anúncio aconteceu após a compra da CryptoPunk de número 7.610 – uma das 3.840 punks femininas, que ocorreu na semana passada no valor aproximado de US$ 150 mil.

Os CryptoPunks foram lançados no ano de 2017 pelo Larva Labs e são considerados os NFTs originais. Possuem uma coleção de dez mil imagens em arte pixel, com personagens excêntricos e desajeitados. Cada um dos CryptoPunks possui uma personalidade própria e combinação única de características e atributos.

A CryptoPunk nº 7.610, adquirida pela empresa Visa, é um personagem com moicano, maquiagem verde de palhaço, possuindo seu próprio conjunto de características que o diferencia de tantos outros NFTs.

Cuy Sheffield, diretor de cripto da Visa, informou em entrevista ao jornal The Block que “CryptoPunks seriam uma grande adição para a coleção de artefatos que podem mapear e celebrar o passado, o presente e o futuro do comércio”. 

Mas não é o primeiro artigo retrô a fazer parte da coleção de arte da Visa, que tem um grande acesso que inclui cartões de crédito em papel e knuckle-busters (dispositivos utilizados para registrar transações em cartões de crédito antes dos terminais eletrônicos em pontos de venda). 

Quando Sheffield foi perguntado por que a Visa aderiu uma CryptoPunk à sua coleção, respondeu que a empresa queria possuir um punk, já que foram pioneiros na tecnologia e na comercialização de NFTs. Também informou que a decisão não foi apenas sobre o punk individual, mas sobre CryptoPunks em geral, pois é um histórico projeto NFT.

A compra do CryptoPunk foi realizada através da parceria da Visa com o Anchorage Digital. A transação foi facilitada pelo Anchorage, que está com a custódia do NFT. Sheffield explicou que a aquisição do punk foi através do Anchorage, utilizando moedas fiduciárias.

Neste ano a Visa já havia trabalhado em conjunto com o Anchorage Digital para firmar pagamentos com a stablecoin USDC na Ethereum.

NFTs e a comercialização de ativos digitais

Segundo a Visa, os NFTs terão um papel importante no futuro do comércio, podendo ajudar criadores de conteúdos independentes, além de pequenas e médias empresas de formas inovadoras. Segundo o diretor de Cripto da Visa “NFTs são uma interseção entre cultura e comércio”. 

O diretor ainda utilizou uma comparação dos NFTs com o início do e-commerce (comércio digital), informando que o e-commerce ampliou as possibilidades de pequenas empresas venderem os produtos através da internet e atingissem clientes em diversos locais do mundo. 

Os tokens não fungíveis permitem que uma empresa pequena possa se beneficiar de uma blockchain pública para criar um bem digital, sendo entregue instantaneamente para uma carteira cripto em qualquer lugar do mundo. 

Segundo a própria Visa, há um interesse significativo por parte dos comerciantes, plataformas de conteúdo e marcas no setor de NFTs. Além disso, a empresa publicou um whitepaper (documento informal de caráter informativo) para ajudar empresas a entenderem como integrar Nets em suas plataformas e como a Visa pode auxiliar no processo.

O foco principal da Visa é ajudar clientes a adquirirem e comerciantes aceitarem os tokens não fungíveis com a mesma facilidade dos bens digitais tradicionais e o e-commerce. Atualmente a companhia está promovendo interação com diversos clientes, ajudando-os a compreender o ecossistema de NFTs e aprender a participar. A Visa possui uma equipe interna especializada em cripto desde 2019 e desde então, realiza várias iniciativas no mercado de ativos digitais.

A companhia de pagamentos eletrónicos também se tornou recentemente, a primeira grande rede a utilizar stablecoin para liquidar uma transação. Outra intenção da empresa é facilitar pagamentos com moedas digitais de banco central (CBDCs).

Influência da Visa no mercado de ativos digitais e NFTs

Após o anúncio da compra do CryptoPunk pela Visa, a demanda pelos punks teve alta no mercado. Cerca de outros 90 tokens da coleção foram vendidos em apenas uma hora, as vendas somando aproximadamente US$ 20 milhões.

A maior parte dos CryptoPunks vendidos são personagens humanos e a maioria das vendas ficaram entre US$ 180 mil e US$ 250 mil, apesar de um dos punks ter sido vendido pelo valor de US$ 917 mil. Os dados são do site Larva Labs.


Segundo o rastreador de negociações de NFTs CryptoSlam, a venda de token mais cara foi realizada por US$ 7,6 milhões, sendo o CryptoPunk nº 7.804, um punk alienígena com óculos, boné e cachimbo. 

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!