Casos de uso

Vencedor do Prêmio Nobel de Economia examina o Bitcoin em um contexto histórico

Postado por em 23 de maio de 2018 , marcado como , , , ,

O professor Robert Shiller, que recebeu o prêmio Nobel de economia em 2013, publicou um artigo, na última segunda-feira, dissertando sobre a maneira como o fascínio do Bitcoin se aproxima de tentativas anteriores de reinventar o dinheiro.

(Foto: Associated Press)

A principal questão que Shiller tentou responder é como os usuários de criptomoedas podem manter um alto nível de entusiasmo diante dos avisos constates de que tudo é apenas uma grande fraude.

Em vez de compara o Bitcoin com soluções tecnológicas do passado, como já foi feito diversas vezes, ele coloca a moeda em um contexto experimental de dinheiro, baseadas no tempo e apoiadas pela eletricidade.

Ao posicionar a tecnologia do Bitcoin no mesmo nível que os movimentos essencialmente políticos, Shiller comparou a criptomoeda com tentativas de renovar a forma como governos e economias operam.

E, segundo ele, enquanto ideias de pensadores comunistas e tecnocratas falham, o euro – que foi criado para ajudar a unir antigos países em guerra – ainda está na ativa.

Fervor revolucionário não é suficiente

Após analisar esses exemplos anteriores, o cientista econômico explica que cada uma dessas inovações monetárias foram associadas a uma história tecnológica única.

 “Porém, todas estão conectadas a um profundo anseio por algum tipo de revolução na sociedade. As criptomoedas são uma declaração de fé em uma nova comunidade de cosmopolitas empreendedores que se mantêm acima dos governos nacionais, vistos como os impulsionadores de uma longa série de desigualdades e guerras”.

Ele ainda acrescenta que, como no passado, o fascínio do público pelas criptomoedas está ligado a um tipo de mistério:

“Praticamente ninguém, fora dos departamentos de ciência da computação, pode explicar como as criptomoedas funcionam. Esse mistério cria uma áurea de exclusividade e enche os devotos de um fervor revolucionário. Nada disso é novo e, como aconteceu com as inovações monetárias do passado, uma história convincente pode não ser o suficiente”, pondera.

Se é verdade ou não que somente os cientistas da computação entendem as criptomoedas hoje, é certamente aceito que ter uma apenas história não é suficiente por si só.

Mas o fervor e a crença dos empreendedores de Bitcoin em relação as criptomoedas explica a persistência do trabalho em casos de uso interessantes, que só são possíveis com esta tecnologia revolucionária.

Fonte: News.Bitcoin