Geral

Usuários de Bitcoin afrontam governo do Canadá e ETF alcança recorde

Postado por em 24 de February de 2022 , marcado como

Usuários de Bitcoin afrontam governo do Canadá com financiamento de protestos anti-vacina.

Bitcoin prol liberdade

O Bitcoin segue sendo a melhor aposta se tratando de escapar do excesso dos legisladores do Canadá, comentam os defensores dos protestos anti-vacina no país.

A guerra do Canadá contra o Bitcoin parece estar tendo um resultado oposto do esperado, visto que o principal fundo transacionado em exchange (ETF) do país adicionou milhares de BTC.

Dados do recurso de monitoramento on-chain Coinglass exibem que nas duas semanas até 23 de fevereiro, o ETF da Purpose Bitcoin cresceu suas participações de 28.854 BTC para 32.257 BTC – 11,8%.

Depois de uma pausa de dois meses em que suas ações reduziram humildemente, o Purpose retornou à moda entre os investidores institucionais.

A reviravolta acontece em uma situação que muitos estão denominando de “propaganda” do Bitcoin – com o governo canadense colocando carteiras privadas na lista ilícita e empenhando-se diretamente em silenciar as exchanges indicando aos usuários a assumir o controle de suas chaves privadas.

A razão disso seria o objetivo dos legisladores de monitorar e apreender os ativos financeiros de qualquer um que contribua – ou esteja associado a quem contribui – ao movimento de protesto dos caminhoneiros.

Essa postura terminou criando um movimento contrário aos intentos do governo canadense.

“O Canadá avisando a todos para tirar suas moedas das exchanges porque eles vão levá-las é o anúncio mais incrível de Bitcoin que eu já vi em toda a minha vida”, escreveu esta semana Dennis Porter, que é apresentador do podcast.

Neste ínterim, Samson Mow, que é diretor de estratégia da Blockstream, repreendeu a atual decisão de preservar os poderes de emergência que autorizaram a vigilância em vigor ad infinitum.

“O Canadá é uma história de advertência sobre por que o dinheiro precisa ser dinheiro, e não uma ferramenta de vigilância. O que é legal ou ilegal pode mudar com um aceno de poderes de emergência”, alertou.

“Se você não tem 100% de certeza de que sempre estará do lado certo daqueles que estão no poder, é melhor comprar um pouco de Bitcoin”, arrematou.

Empresas de Bitcoin orientam usuários a burlar sanções

As empresas estrangeiras de criptoativos já foram objeto de repressão do governo, principalmente a exchange dos Estados Unidos Kraken e o provedor de carteira de hardware Nunchuk, o primeiro por um único tweet do CEO Jesse Powell.

“100% sim, aconteceu/vai acontecer e 100% sim, seremos obrigados a cumprir. Se você está preocupado com isso, não mantenha seus fundos com nenhum custodiante centralizado/regulado. Não podemos protegê-lo. Pegue suas moedas/dinheiro e negocie apenas p2p.

— Jesse Powell (@jespow) 18 de fevereiro de 2022”

Fora do Canadá, a procura por Bitcoin daqueles que utilizam exchanges de varejo e derivativos mostra uma direção clara – para cima.

Os dados da plataforma de análise on-chain CryptoQuant afirmam que os saldos das exchanges recuperaram uma tendência de baixa mais sólida nos últimos dias e estão de novo em mínimos de vários anos.

Em 22 de fevereiro, o saldo das 21 principais plataformas de transação monitoradas pela CryptoQuant era de 2,37 milhões de BTC.

Para um guia sobre como comprar Bitcoin, clique no link!

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!