Casos de uso

A tecnologia blockchain pode sobreviver sem as criptomoedas?

Postado por em 19 de fevereiro de 2018 , marcado como , , , , , , , ,

As recentes flutuações nos preços do Bitcoin e das demais altcoins ressuscitaram o debate sobre as criptomoedas funcionando como uma verdadeira loja de valor. Muitos críticos registraram suas opiniões sobre a queda atual do preço do Bitcoin e altcoins; a maioria dos quais prevê um futuro sombrio para as criptomoedas. No entanto, se por um lado condenam categoricamente o comércio das moedas virtuais, por outro um dilema se instala; já que existe um flerte com a tecnologia que as respalda, o blockchain.

 

(Foto: Pixabay)

Aumentar, cair e subir mais uma vez tem sido uma das características usuais das tendências de preço do Bitcoin e das demais criptomoedas. No entanto, devido ao aumento do nível de conscientização e do valor monetário do atual mergulho do preço, os ativistas contrários a moeda encontraram motivos para aumentar suas críticas à tecnologia.

Para os críticos, esse é o começo do fim

Ao discursar em Londres, no dia 8 de fevereiro, Yves Mersh, membro do Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE), pontuou que as flutuações selvagens das criptomoedas significam um fosso prejudicial entre o preço real e o preço ideal.

Ele explicou que quando existe considerável incerteza em relação a quantos bens e serviços um ativo pode comprar no futuro, ou se de fato poderá ser utilizado para comprar qualquer coisa, ele se torna uma insignificante loja de valor.

Outra forma de crítica e previsões negativas para o Bitcoin veio de um famoso e bilionário investidor, Warren Buffet. Segundo ele, o Bitcoin e as criptomoedas estão em queda livre, pontuando que ele nunca investiria em nenhuma delas.

“Posso dizer, quase com certeza, que as criptomoedas chegaram em um triste fim”.

No entanto, há um crescente interesse quando o assunto é a tecnologia por trás das criptomoedas, o blockchain, e se eles podem existir separadamente. Ou seja, se é possível que a tecnologia cresça enquanto que os tokens alimentados por ela falham.

Para os entusiastas, este é apenas o começo

Michael Vogel, CEO da Netcoins, não compartilha da opinião de que as recentes quedas no preço do Bitcoin significam uma falha na tecnologia. Para ele, considerando o estágio de desenvolvimento das criptomoedas, a volatilidade que está sendo vivida no momento deve ser considerada normal.

Vogel defente que “a volatilidade é parte do cenário de criptomoedas e ainda há muito crescimento à frente. Entre 2015 e 2016 houve menos flutuação e portanto mais usuários estavam interessados em “gastar” a criptomoeda naqueles dias, no entanto, dada a rapidez com que o Bitcoin aumentou de valor eu acredito que isso fez as pessoas perceberem o potencial da moeda como investimento, equivalente ao ouro digital”.

Vogel explica que os pullbacks (retração) fazem parte de uma negociação saudável e insiste que as criptomoedas não podem ser dissociadas do Blockchain. “Concepções de um dinheiro digital já foram tentadas antes, e o motivo da falha foi devido a falta de descentralização, coisa que o blockchain oferece”, ele pondera. E acrescenta, “O blockchain e as criptomoedas estão intimamente conectadas, e as duas tecnologias estão destinadas a um enorme sucesso e um impacto semelhante ao crescimento da própria internet”

Análises técnicas

Kumar Gaurav, do grupo Auxesis, no entanto, considera que o retrocesso recente só ocorreu após o Bitcoin ter atingido o estágio de crescimento do hockey stick (um modelo de gráfico análítico) previsto no passado, devido ao crescimento ligeiramente parabólico ao longo da sua história.

Gaurav também observa que em termos absolutos esse retrocesso não tem precedentes, o que assustou os iniciantes e fez com que os céticos reforçassem suas críticas. Mas segundo ele, todos familiarizados com a trajetória do Bitcoin sabe que, em termos percentuais, a situação atual não deveria ser uma surpresa visto que os cenários rapidamente se recuperam.

(Foto: Pixabay)

Blockchain ou criptomoedas?

Gaurav defende que as questões a respeito das moedas virtuais devem ser vistas como neutras e não baseadas em ideologias, levando em consideração onde sua aplicabilidade é possível e necessária. No governo, por exemplo, a tecnologia blockchain tem muitos casos de uso que podem proporcionar mais eficiência e transparência, sem necessariamente estar ligada às criptomoedas.

Recentemente, o ministro das finanças da Índia, Arun Jaitley, reconheceu o potencial do blockchain, afirmando que o governo irá “explorar os usos da tecnologia para inovar na economia digital”.

Apesar dessas soluções, Gaurav explica que se não tivesse sido pelas criptomoedas talvez também não fosse possível observar a proliferação do interesse em blockchain por todas as instituições; possibilitando, inclusive, as inovações nessa indústria desde o começo, mesmo antes de investidores tradicionais se tornarem adeptos.

O interesse que antes era voltado exclusivamente para as criptomoedas, agora mira no blockchain. Pela possibilidade de ser aplicado a todas as coisas e pela sua transparência.

Fonte: CCN