Tecnologia

Singapura: blockchain assegura pagamento automático de apólices para gestantes com diabetes

Postado por em 21 de agosto de 2018 , marcado como , , , , , ,

Os benefícios da blockchain aplicadas ao setor de assistência é pauta recorrente aqui no Portal Criptoeconomia. Por isso, hoje destacaremos um caso prático de aplicação da tecnologia, que visa assegurar pagamento automático para mulheres grávidas diagnosticadas com diabetes, em Singapura.

(Foto: Pixabay)

Desenvolvido pela LumenLab, o centro de inovação da MetLife Asia, o produto experimental conhecido como Vitana, tornará desnecessário para os inscritos na cobertura, a apresentação da reivindicação de assistência.

De acordo com a MetLife, esta é a primeira solução de seguros automatizado do mundo a empregar tecnologia blockchain em uma fase piloto.

Além disso, a Vitana é o primeiro produto de seguros com foco em diabetes gestacional de Singapura, onde 20% das mulheres grávidas sofrem da condição.

 “No mundo de hoje as pessoas esperam que as experiências sejam simples, automatizadas e digitais”, ponderou Zia Zaman, CEO da LumenLab e diretor do escritório de inovação da MetLife Asia. Acrescentando que a blockchain foi o caminho encontrado, por ele e sua equipe, para tornar as transações com seguro mais fácies.

“Fizemos parcerias com algumas das melhores empresas em sua áreas para criar um plano para o lançamento de novos produtos de seguros paramétricos, no futuro”.

Rápido e conveniente

Segundo a CCN, com a Vitana, os registros médicos eletrônicos dos clientes são conectados, de forma segura, através de um dispositivo móvel onde as apólices são emitidas em segundos.

Nos primeiros 6 meses de gravidez, a gestante baixa o aplicativo e passa a ter direito a uma cobertura máxima de SGD 2.500 (moeda local), aproximadamente US$ 1.830 – valor estabelecido para a fase piloto.

Outro ponto de destaque é o fato de a Vitana ter sido desenvolvida dentro do caixa de proteção regulatória da Autoridade Monetária de Singapura.

A MetLife Inc., empresa que controla a MetLife Asia, vem experimentando a tecnologia como consequência de sua entrada no consórcio de blockchain R3.

O que a classificou como a primeira seguradora multinacional a se juntar ao grupo – que tem como foco os usos da tecnologia distribuída.

A Vitana, da MetLife, é semelhante a iniciativa proposta pela Kyobo Life, da Coreia do Sul.

No projeto sul-coreano, também apoiado pelo Estado, foi estabelecida parceria com uma empresa de blockchain e outra de registros médicos – além da Agência Nacional de Informações do país – a fim de promover pagamentos automáticos para detentores de apólices médicas.