Geral

SBT lança NFT com melhores momentos de Silvio Santos

Postado por em 30 de September de 2021 , marcado como , ,

SBT NFT

SBT lança coleção de NFT com os melhores momentos do Silvio Santos

No começo de setembro tivemos uma notícia revolucionária: o SBT NFT. Na prática, essa junção de letras quer dizer algo bem simples. Embarcando no sucesso dos NFTs, a emissora lançou na blockchain diversos momentos históricos do Sílvio Santos, na tela da TV.

Isso é excêntrico? Sim. Mas ao mesmo tempo que sinaliza algo que parece ser bem mirabolante, lança luz sobre o próprio mercado. Rompendo barreiras sobre o que pode ser digital, o SBT é pioneiro. Ao transformar momentos icônicos da TV em NFTs, a empresa inaugura uma maneira de eternizar a imagem do seu fundador, Sílvio Santos.

Contraditória ou não, essa é uma forma de trazer também o assunto “NFT” para um público mais diverso e já virou notícia em diversos sites.

Quer saber mais sobre esse lançamento?

Vem ver!

O que são os NFTs? O que é SBT NFT?

SBT NFTUm NFT é um token não fungível.

Isso quer dizer o seguinte: cada NFT é único e justamente por isso tem um valor igualmente único – que pode variar entre centavos e milhões.

Mas o que quer dizer isso, na prática?

Uma moeda de um real é um token fungível, se seguirmos essa lógica. Isso quer dizer que, se você trocar uma moeda de um real por outra moeda de um real, o valor das duas ainda será o mesmo.

“Ah, mas existem moedas raras e moedas de colecionador que valem muito mais”. Então você entendeu a lógica do que é um token não fungível.

Ainda que esteja na web, as coisas passam a ter uma propriedade bastante simbólica e, assim, passam a realmente pertencer a alguém.

No caso específico da moeda de um real, sabemos que, na prática, ela vale exatamente um real. No entanto, se ela for rara ou de um colecionador, valerá muito mais do que isso.

Da mesma forma acontece com os NFTs. A partir do momento que um simples meme se torna propriedade de alguém, ele passa a ser mais relevante e ter mais valor.

Quer saber mais? Veja o caso dos NFTs do SBT

Tudo aquilo que é não fungível é único – mais ou menos – e não pode ser substituído por qualquer outra coisa que exista.

Mantendo o exemplo nas cripto, se você tem um Bitcoin e o troca por outro Bitcoin, não houve ganho expressivo. Assim, isso se dá porque se trata da mesma coisa. Com o mesmo valor. E, portanto, totalmente fungível.

Conforme vimos, no caso da moeda de um real, nem tudo que é fungível pode ser considerado apenas como fungível. Um quadro belíssimo pintado por seu filho, ainda que seja realmente lindo, não poderá ser trocado pela Monalisa. Da mesma forma, não poderá ser trocado por um papel sulfite riscado de uma ponta a outra com um lápis. Isso porque essas coisas todas – até mesmo o papel – são únicas em sua forma original e não fungíveis.

Entendeu a lógica?

Assim, quando um artista se propõe a lançar algo seu como um NFT, a ideia é tornar aquilo que pode ser reproduzido – uma vez que é digital – em algo único, de propriedade única de alguém.

Ainda que a imagem possa parecer em diversas páginas e canais, ela tem um proprietário e um registro determinando quem é o seu “dono”.

Como funcionam os NFTs?

Simplificando: os NFTs, em sua maioria, fazem parte da blockchain Ethereum – que é uma criptomoeda, tal como Bitcoin. No entanto, diferente da blockchain da sua concorrente direta, a Ethereum suporta os NFTs além das cripto em si.

Os NFTs armazenam informações de posse que a moeda em si não necessita armazenar – uma vez que ela estará guardada em uma carteira específica.

Mergulhando na onda que a Ethereum criou, outras blockchains também já passaram a criar espaços em suas redes para NFTs, o que promete um mercado ainda mais aquecido e, por conseguinte, bastante singular.

Como o SBT entrou nessa onda de NFT?

O SBT se lança no mercado de NFT de forma bastante simples e, digamos, honesta. Foram lançadas na blockchain quatro imagens que ilustram momentos icônicos dos 40 anos da emissora. São cenas em que Sílvio Santos – seu proprietário – aparece em situações bastante peculiares e, por conta disso, únicas. 

SBT NFT

A coleção de NFT do SBT inclui momentos icônicos do Silvio Santos e da TV brasileira

A coleção de NFT do SBT conta com quatro cenas históricas em quadros igualmente históricos para a TV brasileira:

  • Onde tudo começou – 1981;
  • Topa tudo por dinheiro – 1992;
  • De casa nova – 1996;
  • Teleton – 1998.

Essas quatro imagens representam, no entanto, algo muito mais complexo que a simples venda da propriedade da imagem de momentos importantes da TV.

Além disso, o lançamento da coleção de NFT do SBT traz um indicador bem importante: é hora de as empresas de comunicação se voltarem para o mundo digital e suas mudanças.

No caso do SBT NFT, a criptomoeda que será utilizada no leilão das imagens de Sílvio Santos será a MATIC. Portanto, se você se interessa pela coin, é hora de ficar atento às suas variações no mercado.

Como comprar o NFT do SBT?

O leilão dos NFTs do Sílvio Santos está acontecendo por meio da InspireIP, uma casa de leilão de NFTs já consolidada no mercado e parceira do SBT nessa grande inovação para as mídias tradicionais.

SBT NFT

Casa de leilões irá realizar a venda da coleção de NFT do SBT

Ainda por meio da página dedicada à divulgação do leilão é possível comprar MATIC, que é a moda utilizada para os lances. Compradas, é hora de começar a dar lances. O valor mais baixo para cada lance é de 10 reais, já na conversão da moeda para o real.

Conforme falamos, são quatro NFTs leiloadas, cada uma representando um momento importante e único da TV brasileira.

No entanto, algumas coisas chamam a atenção no edital do leilão. A primeira delas é que o proprietário do NFT não poderá fazer qualquer uso comercial da imagem do apresentador nesse momento histórico. O outro ponto que chama a atenção é que não serão transferidos os direitos autorais da imagem. E, por fim, aquele que todo mundo já sabe: cada NFT pode ser comercializado livremente dentro da comunidade.

Assim, apesar de ser uma proposta bastante ousada, ainda temos alguns traços de conservadorismo. Mesmo assim, vale ficar de olho, sobretudo nas variações da MATIC.

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!