Análise Gráfica

Reversão no Bitcoin? Movimentos e as projeções para os próximos alvos

Postado por em 12 de August de 2021 , marcado como

Após o Bitcoin alcançar seu topo histórico este ano em R$370.000 no dia 14/04/2021, vários investidores de primeira viagem, especuladores do mercado de criptomoedas e investidores que realizam Bitcoin trading foram pegos de surpresa. 

Um topo mais baixo, formado na região dos R$315.000 (26/04 a 11/05), revelou uma força vendedora (sinal de venda) que resultou em uma das correções mais assustadoras e com o maior valor nominal da história. 

Esse movimento reduziu a cotação do preço em 53% desde seu topo histórico, movendo-a de R$315.000 para a zona dos R$160.000.

Esta análise tem objetivo meramente informativo e não representa recomendação de investimento. Investir em bens e ativos complexos trazem riscos, e os investidores devem agir por sua conta e risco.

O preço estaciona nesse patamar e confirma sua tendência negativa em uma região sensível localizada abaixo da Média Móvel Exponencial de 8 semanas (MME 8 – 1S) – representada pela linha roxa na imagem abaixo – um fortíssimo indicador de tendência: quando o ativo está abaixo dessa média, permanece em tendência de baixa, e se a situação é revertida, o ativo entra em tendência de alta. 

Gráfico da cotação do preço abaixo da Média Móvel Exponencial de 8 Semanas

Gráfico da cotação do preço abaixo da Média Móvel Exponencial de 8 Semanas

Após confirmação de queda do mercado, outro fator decisivo foi a perda da Média Móvel de 200 dias (MM200 – 1D), que também é um indicador de tendência fundamental.

Perceba que quando o preço cruza a linha laranja de cima para baixo e se mantém, o “sentimento baixista” continua atingindo praticamente todos os tokens do mercado.

Gráfico da cotação do preço abaixo da Média Móvel de 200 dias.

Gráfico da cotação do preço abaixo da Média Móvel de 200 dias

Essas quedas aconteceram em meio a polêmicas, rumores e incertezas: 

  • China banindo a mineração e o pagamento institucional com criptomoedas, causando quedas consideráveis no Hashrate do BTC; 
  • Corretoras do ramo sendo alvos de investigações por órgãos regulatórios de diversos países; 
  • Declarações contraditórias vindas do CEO da Tesla, Elon Musk, que se tornou uma espécie de “celebridade especulativa” desse meio. 

Não é possível apontar um único motivo para essa correção, mas podemos afirmar que a demanda por criptomoedas foi menor do que a oferta, fazendo com que o preço ficasse preso em uma acumulação lateral por 60 dias, como mostrado na imagem:

Acumulação lateral no período de 60 dias

Acumulação lateral no período de 60 dias

Chega de história triste: e agora? Para onde vai o Bitcoin agora?

Se traçarmos uma Linha de Tendência de Baixa (LTB), que só é possível ligando um topo maior a um topo menor em seguida – representada pela linha verde -, vemos que trata-se uma linha extensa e difícil de ser rompida. 

Porém, com a volta do volume de negociações e a expansão da capitalização do mercado como um todo, essa LTB foi rompida no mês de julho.

Desde então tivemos uma recuperação considerável do Bitcoin, com praticamente 20 dias de alta, resultando em um crescimento de aproximadamente 50%:

Gráfico BTC/BRL com a Linha de Tendência de Baixa traçada

Gráfico BTC/BRL com a Linha de Tendência de Baixa traçada

Se adicionarmos a Média Móvel Exponencial de 8 Semanas (MME 8 – 1S) do Bitcoin ao gráfico novamente, podemos perceber que agora ela atua como uma linha de suporte, como um “trampolim” para o preço continuar subindo. 

E não mais como uma linha de resistência, que age como um “teto”, o qual o preço não consegue romper. Repare na imagem abaixo, como o preço fica em acumulação abaixo dessa linha roxa durante todo o tempo:

Gráfico BTC/BRL com a LTB e a (EMA8 - 1S) traçadas

Gráfico BTC/BRL com a LTB e a (EMA8 – 1S) traçadas

Repare que a próxima resistência que encontramos atualmente (11/08/2021) é a Média Móvel de 200 dias (MM 200 – 1D), a linha laranja que foi citada anteriormente. 

Se essa linha for rompida com muita força e volume, tende a buscar alvos ainda acima da cotação atual.

Caso falhe em rompê-la, a MM200 funcionará como uma resistência, e o movimento natural do preço é buscar a EMA8 (linha roxa), e caso a perca também, posteriormente tocaria a LTB (linha verde).

Gráfico BTC/BRL com a LTB, EMA8 e a (MM200 - 1D) traçadas

Gráfico BTC/BRL com a LTB, EMA8 e a (MM200 – 1D) traçadas

Observando o gráfico mais de perto no dia seguinte, 12/08/2021, vemos que o candle mais recente indica uma rejeição da (MM200 – 1D). 

Um candle negativo logo após um positivo, como vemos na imagem abaixo, representa uma “falha” na tentativa de continuar a subir. 

Gráfico apontando o candle do dia 12/08/2021

Gráfico apontando o candle do dia 12/08/2021

Para termos certeza do movimento como um todo, devemos esperar mais um ou dois dias.

Se o próximo candle for negativo novamente, ele confirmará o movimento de “baixa momentânea”, levando o preço até a linha roxa (MME8 – 1S), que é nossa próxima e principal região de suporte. Realizando um movimento parecido com o projetado abaixo:

Projeção do movimento de preço

Projeção do movimento de preço

Caso o próximo candle seja verde, a projeção acima é desconsiderada.

Traçando uma Extensão de Fibonacci Baseada em Tendência sobre a última alta, conseguimos identificar alguns alvos para esse novo movimento de recuperação que estamos presenciando (caso a tendência se mantenha). Os alvos seguem sublinhados em vermelho na imagem:

  • O primeiro alvo na região de 0.38 de Fibonacci, ou 38%, cotado em R$250.911,02
  • O segundo alvo na região de 0.5 de Fibonacci, ou 50%, cotado em  R$284.087,29
  • O terceiro alvo na região de 0.618 de Fibonacci, ou 61,8%, cotado em R$317.263,57
Gráfico do BTC/BRL com a Extensão de Fibonacci traçada sobre o último movimento de alta projetado

Gráfico do BTC/BRL com a Extensão de Fibonacci traçada sobre o último movimento de alta projetado

 

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!