Negócios Tecnologia

Paris Saint-Germain lançará sua própria criptomoeda

Postado por em 11 de setembro de 2018 , marcado como , , , , , , , , , , , ,

O time de futebol Paris Saint-Germain (PSG), um dos maiores do mundo, é o mais novo empreendimento esportivo que se rende à tecnologia blockchain. O clube anunciou o lançamento de sua própria criptomoeda, a fim de bonificar seus sócios e apoiadores.

O projeto faz parte de uma parceria entre o principal clube da liga francesa de futebol e a Socios.com, companhia de blockchain com sede em Malta.

A colaboração é baseada no conceito “sócios” que já existe entre os fãs de futebol do Real Madrid e do Barcelona.

Alto nível

O PSG faz parte da primeira divisão da liga de futebol do país e tem sido aclamado como o “mas popular” time da França.

O clube pertence e é financiado por uma empresa estatal de investimentos do Qatar e carrega o título recorde de maior valor pago por uma transferência de jogador: U$$ 263 milhões para o esportista brasileiro Neymar, que deixou o Barcelona em 2017.

Plataforma tokenizada

Se autodescrevendo como uma forma digitalizada e tokenizada do conceito de gestão de multidões, a plataforma Socios é impulsionada por um empreendimento de blockchain esportivo chamado chilliZ – que recebe o apoio de atores de alto nível da indústria de criptomoedas como a exchange Binance.

Segundo fontes, a chilliZ já arrecadou US$ 66 milhões até o momento. Processo parecido com o do Bitcoin Revolution e Dragon’s Den, onde dizem as más e boas linguas que surgiu um investimento numa plataforma online de trading com Bitcoin.

Em entrevista para a CCN, o CEO da chilliZ, Alex Dreyfus, explicou que a plataforma estava ansiosa para estabelecer mais colaboração com outros grandes clubes.

“Estamos nos concentrando em alcançar os maiores clubes da Europa e, nas próximas semanas, anunciaremos outros grandes times que também se juntarão à nossa plataforma. Fora da França, nossas prioridades são os clubes do Reino Unido, Itália, Espanha e Alemanha”.

 Votos e recompensas

A parceria com o PSG permitirá que o time lance um Fan Token Offering (FTO), que dará aos apoiadores acesso à criptomoeda da marca Saint German, que vem com direito de voto, status VIP e/ou recompensas aos seus detentores.

Os fãs poderão votar em decisões “estéticas”(como escolher a cor do time, a música do estádio e o logo), bem como certos aspectos esportivos (o jogador da partida ou mês, amistosos, turnês de verão, etc.). O único porém, é que essa moeda não estará a venda ou habilitade para fazer trades em corretoras forex como a XM.

Dreyfus destacou que a estratégia de utilização do token não visa a estrutura corporativa do clube, mas no incentivo e monetização do engajamento e experiência dos fãs a partir do conceito de criptomoeda. Ideia corroborada por Marc Armstrong, diretor de parceria da PSG:

“O Paris Saint-Germain está determinado a aproveitar as oportunidades que as criptomoedas podem oferecer. Esta revolucionaria tecnologia terá um importante impacto na estratégia geral do clube e na forma como nos envolvemos com nossa base de fãs”.

Para Dreyfus, a importância do PSG – primeiro clube de elite que se une à iniciativa – servirá para educar um grande grupo demográfico sobre a tecnologia blockchain e as criptomoedas.