Mining Trading

Mineradora de bitcoin foi roubada por hacker em mais de $60 milhões

Postado por em 7 de dezembro de 2017 , marcado como , , , ,

Uma empresa de mineração de bitcoin na Eslovênia foi hackeada, possivelmente em milhões de dólares, e reacendeu o debate sobre a segurança da moeda virtual justamente faltando poucos dias para começar a ser negociada nas maiores casas de câmbio dos EUA.

(Foto: Pixabay)

A NiceHash, uma companhia que minera bitcoin em nome dos clientes, informou, na quinta-feira, que está investigando uma brecha na segurança e, por isso, deixará de funcionar por 24 horas enquanto verifica a quantidade de bitcoins retirados.

A empresa de pesquisa Coindesk revelou que a wallet adress (uma espécie de endereço que hospeda uma carteira virtual para criptomoeda) referente aos usuários da NiceHash indica que em torno de 4,700 bitcoin foram roubados o que equivale mais de $60 milhões.

Em um comunicado, a NiceHash informou que “o incidente foi reportado as autoridades competentes e ao cumprimento legal e nós estamos coperando com elas em questão de urgência”. A declaração ainda orientou que os usuários trocassem suas senhas imediatamente.

A situação coloca um holofote sobre a segurança do bitcoin exatamente no momento em que a comunidade se prepara para comercializar a moeda em duas casas de cambio estabelecidas nos EUA. Negociações com bitcoin começarão a operar no Chicago Board Options Exchange, no domingo a noite e, nas plataformas concorrentes do grupo CME, no final do mês.

Isto aumentou o senso entre alguns investidores de que o bitcoin está ganhando legitimidade no meio financeiro após uma série de países, como a China, tentarem abafar a moeda virtual.

Bitcoin em disparada

Como resltado, o preço do bitcoin disparou desde o ano passado, particularmente nas últimas semanas. Na quinta-feira, ele subiu para mais de $14.100,74. Um aumento de $1 mil em menos de um dia, de acordo com o Coindesk. No início deste ano, um bitcoin valia menos que $1 mil.

O Bitcoin é a moeda virtual mais popular do mundo. Essas moedas não estão vinculadas a um banco ou governo e permite que os usuários gastem o dinheiro anonimamente. Elas são basicamente linhas de códigos de computador que são assinadas digitalmente a cada vez que são negociadas.

Um debate enfurecido se impõe sobre os méritos de tais moedas. Alguns dizem que elas servem basicamente para facilitar a lavagem de dinheiro e pagamentos ilícitos aninimos. Outros defendem que elas podem ser úteis métodos de pagamento, como em uma situação de crise onde as moedas nacionais estejam em colapso.

Mineradores de bitcoin e outras criptomoedas ajudam a mater o sistema honesto uma vez que faz com que os seus computadores tenham uma conta corrente global das transações. Isto evita que trapaceiros passem a mesma moeda digital duas vezes. A segurança online é uma preocupação vital para tais negociações.

No Japão, após o fracasso de uma comercializaçãoo de bitcoin chamada Mt. Gox, novas leis foram promulgadas para regularizar o bitcoin e outras criptomoedas. Mt. Gox encerrou em fevereiro de 2014, dizendo que perdeu em torno de 850,000 bitcoins, possivelmente para hackers.

Fote: amp.usatoday.com