Geral

Mercado revisa estimativas e projeta inflação acima de 7% ao ano

Postado por em 23 de August de 2021 , marcado como

A segunda-feira, 23 de agosto, começou agitada, com anúncios e estimativas para inflação e juros futuro no mercado brasileiro. A semana promete ser movimentada, com divulgação do relatório Focus, dados do mercado americano e mais. 

Pela 20ª semana consecutiva, o mercado financeiro elevou as projeções para a inflação deste ano. O aumento faz a projeção passar de 7,05% para 7,11%. Os dados mais recentes foram divulgados no relatório Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira (23) pelo Banco Central (BC).

Em 2 de abril, antes da primeira elevação, a expectativa era para um aumento da inflação de 4,81% no ano de 2021. 

Além da inflação, as expectativas para a alta do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) em 2022 também subiu pela 5ª semana seguida, indo de 3,90% para 3,93%.

O mercado financeiro espera um cenário de pressão inflacionária: diante de taxas de juros mais pressionadas que o previsto no início de 2021, quando a Selic beirava 2% ao ano e, segundo os especialistas consultados no relatório do Banco Central, a taxa básica deve encerrar o ano em 7,50%. O aumento de 2,25 pontos percentuais em relação a 5,25% dos juros atuais, deve se manter até dezembro de 2022, sem alterações em relação ao levantamento anterior.

Para a Selic, é esperado o aumento de pelo menos um ponto percentual, para 6,25% em setembro, e outro de 0,75 ponto em outubro, ficando em 7,00% no Copom (Comitê de Política Monetária).

Já para o desempenho da economia brasileira, a estimativa é de crescimento no PIB (Produto Interno Bruto) de 5,27% em 2021. Essa estimativa está alinhada com o aumento de 5,28% esperado anteriormente. Para 2022, a projeção de crescimento na atividade econômica caiu de 2,04% para 2,00%.

Para o dólar, os economistas ouvidos no relatório do Banco Central mantiveram as projeções: dólar negociado a R$ 5,10 em dezembro de 2021 e  R$ 5,20 no fim de 2020.

Ibovespa opera em alta, repercutindo a recuperação do cenário internacional

A Ibovespa Futuro começou esta segunda-feira (23) com alta, reflexo da recuperação dos principais índices acionários globais do petróleo e depois de uma semana de preocupação com a política monetária americana. Outros índices de preocupação foram a variante delta do coronavírus e o ambiente regulatório da China. 

Neste início de semana, as notícias em relação à pandemia são mais positivas, com as autoridades chinesas informando que não houve nenhum caso local de COVID-19 pela primeira vez desde o mês de julho. Essa notícia indica uma possível desaceleração da onda atual, mas os investidores continuam monitorando o avanço da variante delta.

O simpósio de Jackson Hole começa nesta quinta-feira (26) e deverá trazer mais informações sobre a redução nas compras mensais de títulos do Federal Reserve e sobre as estimativas do ciclo de aumento de juros pelos Estados Unidos.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe dois pontos-base a 6,71%, o DI para janeiro de 2023 registra alta de um ponto-base a 8,41%, o DI para janeiro de 2025 avança dois pontos-base a 9,58, enquanto o DI de janeiro de 2021 permanece estável a 10,01%.

Na Europa, o PMI (sigla em inglês do Índice do Gerente de Compras) Markit composto para a Zona do Euro, mostra dados sobre os setores de serviços e manufatura, registrando o menor patamar em dois meses em agosto, de 59,5 pontos em comparação a 60,2 pontos. Patamar acima indica expansão e abaixo, retração.

O PMI composto da Alemanha teve queda de 62,4 em julho para 60,6 em agosto, segundo os dados divulgados na manhã desta segunda-feira pela IHS Markit. Apesar da queda, a leitura acima da marca de 50 mostra que a atividade da maior economia europeia segue se expandindo em ritmo fortalecido, mesmo que contido. O mesmo índice composto mostrou que no Reino Unido, a queda foi de 59,2 em julho para 55,3 em agosto, marcando o menor patamar em seis meses. 

Destaques das ações corporativas cotadas na B3

EzTec (EZTC3)

A empresa informou na última sexta-feira (20) que foi aprovado o programa de recompra de até 5.035.897 ações. A aprovação foi de responsabilidade do conselho administrativo. O programa tem prazo de até seis meses e termina em 23 de fevereiro de 2022. O montante referido no programa equivale a 5% das ações da empresa em circulação no mercado.

BR Properties (BRPR3)

A empresa anunciou o encerramento do plano de recompra de ações. O resultado foi 99,95% dos ativos que havia se proposto a comprar, totalizando 10.994.600 ações por R$ 94,888 milhões. O custo médio de cada ação é de R$ 8,63.

Minerva (BEEF3)

A companhia informou na última sexta-feira (20) que uma unidade da Minerva Foods, localizada em Palmeira de Goiás (GO), foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal (PF). As buscas faziam parte da Operação A Posteriori, que apura irregularidades em auditorias fiscais federais agropecuárias.

Segundo a companhia, o procedimento foi realizado na quinta-feira (19) e teve cooperação dos colaboradores da Minerva. A unidade voltou a realizar as atividades regulares e informou em comunicado que não existe indiciamento ou denúncia contra a companhia, administradores ou funcionários. 

Sabesp (SBSP3)

João Dória (PSDB), governador do Estado de São Paulo, informou que a Sabesp será preparada para ser privatizada nos próximos anos, que será um projeto de longo prazo. A Sabesp já possui capital aberto, ou seja, já é cotada na bolsa e costuma ter boa performance.

Braskem (BRKM5)

A empresa Braskem comunicou não possuir conhecimento sobre a realização de oferta pública das ações da companhia como estratégia para a saída de acionistas. O comunicado foi enviado para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esclarecendo notícias veiculadas na mídia.

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!