Mercado Negócios

Investidor de Bitcoin entra na justiça após perder altas somas de dinheiro

Postado por em 11 de janeiro de 2018 , marcado como , , ,

o chinês Wang Tieliang entrou com um processo contra a Huobi e seus dois parceiros em Pequim para invalidar suas negociações com trocas de Bitcoin. De acordo com Wang, ele depositou $1.4 milhões de yuans no fundo de investimento especulativo da Huob em outubro de 2016. Mas após alguns meses ele não conseguiu lidar com a pressão da perda de dinheiro e agora requer de volta $400 mil yuans.

(Foto: Pixabay)

O quixoso disse ao tribunal que seus negócios com a Huobi deveriam ser invalidados, já que a moeda não existe. “O Bitcoin não existe e não é um produto legalizado. O marxismo diz que uma mercadoria deve ter preço e valor e, claramente, o Bitcoin não pode ser classificado como uma mercadoria. Além disso, a moeda não é oficial, porque não é emitida pelo banco central. Portanto, ela não deve ser usada para trocas ou como método de pagamento”.

A Huobi argumentou que Wang não entende o que é Bitcoin. Além de acrescentar que não é a Huobi que faz as negociação, o processo é feito por outros usuários da plataforma. A Huobi serve apenas como um canal intermediário que opera legalmente. A empresa ainda acrescentou que o preço do Bitcoin é decidido pelo mercado, não pela plataforma.

Julgamento no Tribunal

As duas outras companhias parceiras, também envolvidas no processo, alegaram que apenas auxiliam a Huobi no recebimento de deposito dos usuários. E como tal, eles não se responsabiliza pelas perdas de Wang Tieliang.

O tribunal de Pequim rejeitou o processo, alegando que os investidores deveriam ser responsáveis por suas próprias perdas. A sentença do juiz explicou que, “Os usuários que negociam Bitcoin devem estar cientes dos riscos que o envolvem. Eles devem investir apenas o montante que eles suportam perder e, por tanto, devem assumir todas as responsabilidades”.

No entanto, o juiz observou que o Bitcoin, de fato, não é uma mercadoria e não tem valor de uso. O PBOC não tem direito de definir a moeda como uma mercadoria virtual; e o Huobi não tem o direito de comercializar Bitcoin, apenas pode oferecer serviços comerciais.

Fonte: News.bitcoin.com