Investimentos Startups

Inspirada pelas criptomoedas, startup propõe a criação de ilhas flutuantes para uma vida utópica e autossustentável

Postado por em 21 de maio de 2018 , marcado como , , , , , , , ,

Sufocando devido as estritas políticas monetárias e comerciais do seu governo? Siga para os mares! Para ser mais preciso, construa uma ilha que tenha seu próprio governo e utilize as criptomoedas como proposta principal.

(Foto: Pixabay)

As startup Blue Frontiers e Seasteading compraram essa ideia e estão investido na criação de ilhas artificiais que suportarão 300 casas e terão suas próprias formas de governo e moeda.

A palavra Seasteading, inclusive, faz um trocadilho com o termo em inglês homesteading, que significa um estilo de vida autossustentável.

As criptomoedas estão se tornando um importante alicerce para os construtores de uma nova utopia mundial, como Elon Musk, que precisam de uma proposta eficiente não física.

De acordo com o site da Blue Frontier, “Nossa missão é promover o crescimento a longo prazo do movimento seasteading. Nosso foco atual é habilitar os primeiros seasteads, a partir da pesquisa de desafios críticos de engenharia, legais e de negócios; aumentando, assim, a conscientização do público e construindo uma comunidade central seasteading (ou autossustentável no oceano)”.

O projeto escolheu as ilhas da Polinésia como ponto de partida. Nathalie Mezza-Garcia, pesquisadora da Blue Frontiers, conversou com a CNBC sobre o local.

“Há um significado do por que este projeto está sendo testado na ilha da Polinésia. Esta é a região onde a terra negligencia a reserva de corais, que desaparecerá com o aumento do nível do mar”, ponderou a pesquisadora.

Mezza-Garcia ainda comentou que o projeto inicial servirá como base de testes para futuros sistemas flutuantes. “Quando pudermos ver como essa primeira ilha funciona, teremos uma prova de conceito para planejar ilhas que abrigarão refugiados do clima”.

A Blue Frontiers também lançou uma ICO para levantar capital. Segundo o site, “a Blue Frontiers está planejando usar os recursos da venda para expandir seu ecossistema e criar SeaZones (zonas oceânicas) e Seasteads (locais sustentáveis nos oceanos) e só aceitará Varyon (VAR) para seus produtos e serviços”.

Pela inovação, o projeto seafasting têm chamado a atenção da mídia e foi mencionado na Nature, no New York Times e no Wall Street Journal.

Admirável mundo novo

(Foto: Island Concept. Source: www.blue-frontiers.com/en/varyon)

 

Embora pareça que saiu de um romance de ficção científica, a verdade é que a proposta poderia abalar os modelos tradicionais dos governos. E os órgão que investem na repressão às criptomoedas provavelmente não irão ignorar as ilhas criadas pelo homem.

No entanto, o projeto também pode caminhar ao lado das medidas adotadas pelas ilhas caribenhas para incentivar os negócios com criptomoedas.

Sua postura pró-bitcoin atraiu para as ilhas uma utopia própria, com a entrada de investimentos, bem como a abertura para startups e o capital de risco.

Governos menores com flexibilidade regulatória (como os territórios insulares) estão em um aposição única que permite tornar mais fáceis as regulamentações para as empresas de criptomoedas. Quanto maiores os países, maiores serão as burocracias e o arrocho dos bancos centrais.

Fonte: CCN