Mining

Google proíbe aplicativos de mineração de criptomoedas na Play Store

Postado por em 27 de julho de 2018 , marcado como , , , , ,

Seguindo o exemplo da Apple, o Google passou a proibir apps de mineração de criptomoedas de sua loja na aplicativos móveis.

(Foto: Pixabay)

De acordo com uma reportagem do site Android Police, divulgada na quinta, a gigante da internet revelou sua mudança de postura em uma recente atualização de política para desenvolvedores do Google Play.

“Não permitiremos aplicativos que mineram criptomoedas em dispositivos móveis. Mas será permitido aplicativos que gerenciam remotamente a mineração de criptomoedas”, destaca o relatório.

A restrição acontece no momento em que o Google e a Apple estão reforçando os esforços para conter as atividades relacionadas à mineração com criptomoedas, em suas plataformas.

Em abril, o Google proibiu extensões de navegadores de mineração de moedas digitais de sua loja na web do Google Chrome, depois que a empresa descobriu que uma “grande maioria” não cumpria sua política de uso único ou eram maliciosos.

Fechando o cerco

No mês passado, a Apple atualizou sua política de aplicativos móveis para desenvolvedores de iOS, proibindo qualquer app que possa ser usado para mineração de criptomoedas em dispositivos móveis.

Tais medidas visam limitar abertamente a mineração de cripto ativos, que agora surge como versões secretas e cada vez mais populares no mundo do cibercrime.

A Kaspersky Lab, empresa russa de segurança cibernética, disse, em um relatório divulgado no mês passado, que os incidentes de criptomoedas – em que os maus atores sequestram o dispositivo dos usuários para mineração de criptomoedas sem o seu consentimento – aumentaram 44,5% em relação ao ano passado.

Da mesma forma, um relatório de segurança da Skybox, alguns dias antes, sugeriu que esta mineração de criptomoedas ilícita se tornou mais popular que o código malicioso ransomware – no qual os dados do cliente são sequestrados em troca de resgate.

Em uma atualização da pesquisa no meio do ano, a empresa disse que os mineradores de moedas digitais são responsáveis por 32% de todos os ataques cibernéticos, enquanto o ransomware representa apenas 8%. No final do ano, esses números estavam exatamente invertidos.

Fonte: CoinDesk

loading...