Mercado

Gigante chinesa do petróleo utilizou tecnologia blockchain para exportar gasolina

Postado por em 2 de abril de 2018 , marcado como , , , , , , ,

O gigante petroquímico da China, Sinochem Group, conseguiu utilizar a tecnologia blockchain para realizar uma exportação de gasolina.

(Foto: Pixabay)

O teste foi conduzido pela subsidiária do grupo, a Sinochem Energy, e viajou da cidade chinesa de Quanzhou para Singapura, conforme noticiou a agência de notícias oficial do governo chinês, Xinhua.

A empresa estatal alegou que o processo de testes representa a primeira vez que um sistema de comércio de commodity baseado em blockchain incluiu todas as partes centrais no processo.

A Sinochem já havia experimentado a tecnologia blockchain, anunciando em dezembro que havia concluído “a primeira transação simulada de importação de petróleo bruto originado no oriente médio”.

Naquela época, o grupo disse que a simulação indicava que os conhecimentos de embarque digital e contratos inteligentes poderiam simplificar as transações de petróleo bruto, “otimizando de 20 a 30% dos custos de financiamento”.

Segundo declaração publicada em dezembro:

“A padronização da tecnologia blockchain permitirá que o comércio petroquímico da China, ajude a melhorar a transparência e o nível geral de gerenciamento de risco da indústria”.

Setor de energia se rende a tecnologia blockchain

O setor global de energia demostrou considerável interesse na tecnologia blockchain, com muitas das maiores corporações explorando plataformas baseada em blockchain.

Duas principais empresas do setor, as petrolíferas BP e Eni, começaram a experimentar uma dessas plataformas para o comércio de gás em julho de 2017.

As gigantes de energia europeia Enel e E.on também realizaram testes utilizando uma plataforma de blockchain desenvolvida pela empresa de TI Ponton; e uma das mais importantes fornecedoras de energia da Austrália está testando uma plataforma chamada Power Ledger.

Fonte: CoinDesk