Mining

Firefox: versões futuras vão bloquear malware de mineração de criptomoedas automaticamente

Postado por em 3 de setembro de 2018 , marcado como , , , , , , ,

O popular navegador da web, Firefox, em breve começará a bloquear automaticamente os scripts de malware de mineração de criptomoedas. A medida é parte de um movimento mais amplo para aprimorar o desempenho da plataforma.

Firefox bloqueará malware de mineração de criptomoedas em versões futuras do navegador

(Foto: Pixabay)

A Mozilla Foundation, organização sem fins lucrativos por trás do navegador de código aberto anunciou, na quinta-feira, que pretende bloquear rastreadores e outras “práticas prejudiciais”, em seus próximos lançamentos.

Alguns desses recursos, como a função anti-tracking, já estão disponíveis na versão beta do Firefox Nightly.

O objetivo é impedir que scripts de terceiros dificultem a experiência do indivíduo, de acordo com o vice-presidente de produtos da Mozilla, Nick Nguyen. Esses scripts são geralmente incorporados em sites e podem comandar o poder de computação sem consentimento do usuário.

Scripts que sequestram a capacidade de processamento do computador de uma pessoa para minerar criptomoedas também se enquadra nessa categoria.

“Praticas enganosas que invisivelmente coletam informações de usuários ou degradam a experiência dele estão se tornando mais comuns”, escreveu Nguyen, acrescentando:

“Por exemplo: usuários com rastreadores fingerprint (impressão digital) – uma técnica que permite que um site identifique unicamente o computador do usuário, de uma forma que ele não consegue controlar. [O resultado é que] outros sites implantam scripts que silenciosamente mineram criptomoedas no dispositivo do usuário. Práticas como essas fazem da web um lugar mais hostil. Versões futuras do Firefox bloquearão essas práticas por padrão”.

Proteção

A versão do Firefox Nightly será usada para testar a funcionalidade dos novos recursos e, se bem-sucedidas, os usuários poderão começar a vê-los ativados, por padrão, na versão atualizada do Firefox 63.

A Mozilla se junta a outros navegadores, incluindo o Ópera e o Google, na tentativa de proteger seus usuários de mineradores maliciosos, o que pode prejudicar a experiência dos internautas, na melhor das hipóteses, e danificar seus computadores, na pior delas.

O Opera anunciou em janeiro, o lançamento de um serviço de proteção à mineração na versão para smartphone, que também estaria ativo por padrão. A empresa já oferecia garantias contra mineração de criptomoedas na versão desktop.

O Google, enquanto isso, baniu qualquer aplicativo de criptomoedas da sua Play Store, embora não tenha feito declarações oficiais sobre o bloqueio automático de scripts embutidos em sites.

Fonte: Coindesk