Mercado

Exchange japonesa Coinchek é roubada em mais de US $ 500 milhões

Postado por em 26 de janeiro de 2018 , marcado como , , , , , , , ,

A casa de câmbio de criptomoedas Coincheck, sediada em Tokyo, confirmou o que parece ser o maior ataque virtual na história da tecnologia.

(Foto: Pixabay)

Em uma coletiva de imprensa, o presidente da Exchange, Wakata Koichi Yoshihiro, e o chefe de operações, Yusuke Otsuka, estimaram suas perdas em 58 bilhões de Ienes (cerca de 533 milhões de dólares). Segundo o Bloomberg, 500 milhões do token NEM foram retirados das carteiras digitais do Coinchek.

A quantidade roubada ainda não pode ser indicada precisamente, até que novas verificações sejam realizadas – dada a natureza volátil das criptomoedas e a falta de informação por parte da empresa. No entanto, os dados sugerem que o roubo foi maior que US $400 milhões, contribuindo para um declínio do valor do XEM, o token do protocolo NEM, após o incidente.

Notavelmente, a quantidade de dólares perdidos do Coincheck é provavelmente maior do que o montante roubado do MT. Gox em 2014 (fixado em US$ 340 milhões), embora o impacto no cenário econômico de criptomoedas seja muito menor nos dias de hoje, dado o imenso aumento na capitalização do mercado desde então.

Suspensão das atividades

Rumores sobre o roubo circulavam desde o início da manhã, quando o Coinchek congelou abruptamente a maioria dos seus serviços. A empresa anunciou em seu site que havia restringido os depósitos, as negociações e retirada do XEM, o token que roda o blockchain NEM.

Um suspensão mais ampla de resgate de todas as criptografias, bem como do Iene japonês, foi anunciado 30 minutos após o primeiro informativo. Na hora seguinte, a negociação de todas as criptomoedas também foi restringida, exceto o Bitcoin. De acordo com as ultimas atualizações, outros métodos de depósitos, incluindo cartões de crédito, também foram interrompidos.

A Coincheck está buscando meios para compensar seus clientes. Também foi revelado que a Exchange não estava registrada na Agencia de Serviços Financeiros do Japão, mas agora planeja fazê-lo. O presidente da Coincheck disse que “lamentou profundamente” o problema.

Fonte: Coindesk