Geral

Eu errei, diz ex-crítico do Bitcoin que teria lucrado 2.350% se tivesse comprado a criptomoeda

Postado por em 15 de October de 2021 , marcado como , , ,

Eu errei! Disse administrador de empresa ao admitir que estava equivocado ao desdenhar de Bitcoin:

‘Erro que me custou 2.350% de retorno’

Eu errei! Diz ex-crítico do Bitcoin

Jonathan Camargo, que é sócio da EQUI Investimentos, postou em seu Twitter que lamentava não ter investido em Bitcoin no ano de 2018.

Quando o BTC chegou a estar cotado abaixo de US$ 3.200: “O ERRO QUE ME CUSTOU 2.350% DE RETORNO!”.

Atualmente, o Bitcoin está cotado a US$ 59.450, segundo dados do CoinMarketCap.

Se Camargo tivesse investido R$ 10.000, por exemplo, hoje ele teria mais de R$ 185.000.

Criptomoedas não servem para nada? Eu errei!

Em 2018, o investidor questionou a real serventia financeira do Bitcoin.

Todavia, atualmente ele declarou que mudou drasticamente seu ponto de vista:

“Sim, eu já fui muito contrário às criptos! Errei e confesso que errei, sou humano. Resolvi aprender e mudei completamente meu pensamento!”

Perguntado por um cético sobre quais seriam as atribuições de um criptoativo, ele explicou:

“São dois: meio de pagamento para grandes valores (veja no Whale Alert). Reserva de valor por ser um ativo escasso digitalmente”.

Errou, mas “já se redimiu”

Enfim, ao longo dos comentários à sua postagem no Twitter, Camargo demonstra ter se redimido ao erro “há um bom tempo”.

Porém, ele não define precisamente quando teria se transformado em um bitcoiner ou o tamanho de seu investimento no criptoativo.

Outros críticos do Bitcoin também mudaram de opinião

Veja outros exemplos de ex-críticos do Bitcoin que também mudaram de ideia quanto ao tema.

Stanley Druckenmiller

Segundo uma matéria da Revista EXAME, em 2019,  Druckenmiller dizia que não precisava “brincar” com o Bitcoin.

Todavia, em novembro de 2020 ano ele mudou de opinião e revelou ter alocado parte de seu capital na criptomoeda criada por Satoshi Nakamoto.

Ray Dalio

Em 2017, o bilionário Ray Dalio chamou o Bitcoin de bolha.

Entretanto, no final de 2020, o bilionário começou a rever seus conceitos sobre o Bitcoin ao afirmar:

“Portanto, [o Bitcoin] poderia servir como uma diversificação de ouro e outros depósitos de ativos de riqueza. O principal é ter alguns desses tipos de ativos, inclusive, no portfólio e diversificar entre eles”, disse.

Fraser-Jenkins

Quem também mudou de ideia sobre o Bitcoin foi Fraser-Jenkins, estrategista da gestora Alliance Bernstein.

No início de dezembro de 2020 ele reconheceu ter “mudado de opinião” após ter desdenhado do Bitcoin até então.

Mas não apenas isso, em carta aos clientes da companhia, ele passou a recomendar uma pequena alocação de portfólio em BTC.

Adam Curry

Outro algoz do Bitcoin que repensou sua posição sobre o BTC foi o empresário Adam Curry.

Durante o programa “The Joe Rogan Experience”, ele confessou:

“Eu era muito anti Bitcoin (…) até vendi um grande número deles por cerca de US$ 900. Eu os ganhei de graça. As pessoas me deram no começo e eu neguei”, disse.

Curry agora considera o BTC útil pelo menos como uma reserva de valor.

Marcelo Lopez

Há também pelo menos um brasileiro na lista dos arrependidos.

estamos falando do gerente de fundos de hedge Marcelo Lopez.

Em 2017, ele comparou o Bitcoin à bolha das Tulipas.

Todavia, ele se retratou sobre a análise precipitada e disse que sua percepção sobre a criptomoeda mudou.

“Pois bem, o Bitcoin chegou com uma ideia revolucionária e maravilhosa. Ele acabou com a necessidade do lastro e eliminou a terceira parte (bancos), cortando custos e acelerando o processo de transferência de recursos”, disse.

Se você também está no time dos arrependidos e quer comprar bitcoin, clique no link para um guia completo sobre como fazê-lo!

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!