Tecnologia

Entendendo a Lightning Network do Bitcoin

Postado por em 24 de janeiro de 2018 , marcado como , , , ,

O princípio original do Bitcoin, descrito pelo incógnito Satoshi Nakamoto, é que a moeda servisse de análogo digital do dinheiro – no sentido físico, o cash.

Assim, diferente de cartões de crédito, quando alguém transfere bitcoin para outra pessoa, faz isso diretamente e sem intermediários, tão simples como tirar a carteira do bolso e dar uma nota para alguém.

No entanto, com o crescimento desenfreado Bitcoin e outros fatores, a eficiência na transferência de valores entre utilizadores foi para o brejo. Isso por conta das altas taxas e tempo de confirmação das transações.

Atualmente, uma transferência na rede Bitcoin pode custar 7 dólares e demorar até 1 hora para ser completada, impossibilitando pequenos pagamentos ou a compra de produtos que precisam de confirmações instantânea, como uma cafezinho na padaria da esquina.

Lightning Network, a solução?

Para solucionar esse e outros problemas do Bitcoin, como a escalabilidade, já que a criptomoeda tem capacidade de processar apenas 7 transações por segundos, contra 62 mil da operadora de cartões Visa, Joseph Poon e Thaddeus Dryja propuseram uma ideia chamada de Lightning Network.

A Lightning Network do Bitcoin consiste no uso de uma série de artifícios disponíveis no protocolo para fazer transações fora do Blockchain, mas altamente confiáveis, a partir de canais de pagamentos e contratos inteligentes.

Entre os benefícios, as promessas são de taxas irrisórias, transações instantâneas e capacidade de processar de milhões à bilhões delas por segundo.

Como funciona a Lightning Network do Bitcoin?

O white paper descrevendo a técnica tem 59 páginas. Mas, se você quer uma versão resumida, o pessoal do canal do Youtube Savjee fez um vídeo altamente didático e simples de entender sobre seu funcionamento, que você confere logo abaixo. Legendas em Português do Brasil estão disponíveis.

Quando a Lightning Network do Bitcoin vai começar a funcionar?

Desde 2016, a Lightning Network vem sendo testada por desenvolvedores independentes na rede de testes do Bitcoin, a testnet. No final de 2017, Elizabeth Stark, envolvida em um desses grupos, relatou que a técnica estava pronta e totalmente compatível com o mainnet, onde as transações de verdade acontecem.

Com a adesão e os avanços, podemos esperar em breve todos os benefícios da Lightning Network em funcionamento e, então, o uso real do Bitcoin para transações em lojas físicas e virtuais.

Será em 2018 que o Bitcoin vai se tornar realmente o “dinheiro de papel digital”? O mercado vai dizer.