Corporativo

Empresa de tecnologia em Israel quer pagar o salário dos funcionários com Bitcoin

Postado por em 14 de junho de 2018 , marcado como , , ,

O setor de tecnologia de ponta de Israel está passando por uma grave crise de talentos. Para reter e competir por funcionário especializados, uma empresa pensou na solução perfeita: Pagar o salário da equipe em Bitcoin. Agora resta saber se as autoridades do país permitirão o acordo.

Empresa de tecnologia em Israel quer pagar o salário dos funcionários com Bitcoin

(Foto: Pixabay)

A empresa com escritório em Tel Aviv, a Spot.IM, já está em negociação com a Autoridade de Valores de Valores de Israel (ISA) – com conversas girando, principalmente, em torno das taxa de câmbio – além de levar o assunto à atenção do Ministério do Trabalho.

O objetivo é permitir que qualquer funcionário interessado possa receber o total ou parte do seu salario em Bitcoin, com a empresa absorvendo os custos das altas taxas de conversão.

O Spot.Im não faz parte do ecossistema de criptomoedas, mas da indústria da internet tradicional. A empresa auxilia os sites de mídia no gerenciamento de suas ações de engajamento social e comentários.

Dentre seus clientes mais expressivos estão a revista Times, a NBC, o Huffington Post e a Fox News.

A empresa levantou um total de US$ 38 milhões desde que foi fundada em 2012 e em sua última rodada em novembro de 2017 arrecadou US$ 25 milhões em financiamento, com investidores de peso como Roman Abramovich.

Em harmonia com as instituições bancárias

Embora as leis de Israel não reconheçam o Bitcoin oficialmente como moeda nem ativo, o sistema tributário acomoda qualquer coisa de valor no cálculo de salários.

Dessa forma, aparentemente a empresa não estaria violando a lei. Mas o excesso de cautela tem como objetivo evitar complicações futuras com o hostil sistema bancário, obtendo assim, um selo de aprovação dos burocratas do Estado.

Ido Goldberg, chefe das operações da Spot.IM no país, disse aos jornais israelenses que como uma empresa que lida diariamente com as tecnologias mais avançadas todos os dias, ele acredita no futuro das criptomoedas.

“Ainda assim, as moedas são construídas com base na confiança e, para isso, as organizações terão que reconhecer as criptomoedas como legítimas”, ponderou Goldberg.

Fonte: Bitcoin.com