Tecnologia

Edward Snowden acredita que livro-razão público é grande falha do Bitcoin

Postado por em 22 de março de 2018 , marcado como , , , , , , ,

Edward Snowden, que ficou famoso por expor agenda de vigilância da Agência de Segurança Nacional (NSA) em 2013, comentou que a falha central do Bitcoin pode não estar nas limitações da taxa de transação, mas no seu livro-razão público.

(Foto: Japantimes)

Conversando com o participantes do evento Blockstack, em Berlim, através de uma webcam, Snowden deu ao público, pela primeira vez, sua visão detalhada sobre a tecnologia emergente.

Embora concorde que a criptomoeda estará presente por um longo período de tempo, Snowden argumenta que “o Bitcoin não durará para sempre”.

“Todos estão focados na limitação da taxa de transação do Bitcoin; sendo esta sua falha central e uma das principais”, ele explicou, acrescentando que “a falha estrutural muito maior, a falha de longa duração, é seu livro-razão público”.

Snowden explicou que o mecanismo existente no blockchain do Bitcoin tem o problema de balancear os registros de todo o histórico das transações, com a tentativa de escalar sua capacidade no processamento dessas transações.

“Isso é simplesmente incompatível com um mecanismo duradouro de negociações, porque você não pode ter todo o histórico de compras, todas as interações disponíveis para todos e ter um bom desempenho em escala”, comentou ele.

Falando sobre sua preferência em termos de criptomoedas, Snowden confessou:

“Quando nós falamos sobre quais criptomoedas são interessantes para mim, eu já disse isso antes e volto a repetir: Zcash é a mais interessante nesse momento; porque a privacidade dos proprietários é verdadeiramente singular. Nós vemos mais e mais projetos tentando imitar isso e eu acredito que é uma coisa positiva”.

Blockchain e criptomoedas a favor de governos autoritários

Snowden também argumentou que um livro-razão público que documenta todo o histórico de transações – embora apele para uma base global de consumidores – poderia também atrair o interesse de governos que desejem proibir a tecnologia.

Os comentários coincidem com relatos de documentos vazados, essa semana, sugerindo que a NSA possa estar utilizando sua poderosa tecnologia para rastrear, não apenas o livro-razão do blockchain, mas também usuários individuais da rede distribuída.

O analista de sistemas ainda levantou a questão sobre as criptomoedas serem utilizada por governos autoritários no lançamento de projetos estatais, como o token Petro recentemente lançado pela Venezuela.

E seguindo esse caminho, foi questionado sobre a tecnologia blockchain e se havia preocupações caso ela fosse cooptada por ditadores, entidades poderosas ou corruptas”, no que ele respondeu:

“Não é uma questão de se elas [as criptomoedas] serão [cooptadas], mas de quando elas serão. É uma questão de como projetamos sistemas concorrentes que são muito atraentes para serem ignoradas, tanto pelos consumidores quanto pelos próprios governos”, concluiu.

Fonte: CoinDesk