Investimentos Tecnologia

Coca-cola planeja utilizar blockchain para combater trabalho escravo

Postado por em 20 de março de 2018 , marcado como , , , , , ,

A Coca-cola e o Departamento de Estado dos EUA, juntamente com duas outras companhias, anunciaram, na sexta-feira, que irão lançar um projeto com base na tecnologia bolckchain para criar um registro seguro que ajudará a combater o trabalho escravo em todo o mundo.

Coca-cola investe em blockchain

(Foto: Pixabay)

O Departamento de Estado informou que este é o primeiro grande projeto da agência a utilizar o blockchain, reforçando a crescente aplicação da tecnologia às causas sociais.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, quase 25 milhões de pessoas trabalham em condições análogas a escravidão em todo o mundo, com 47% delas na região da Ásia-Pacífico.

Empresas de alimentos e bebidas estão sendo pressionadas para mitigar os riscos de trabalho forçado em países que produzem cana-de-açúcar.

Um estudo divulgado no ano passado pela KnowTheChain (KTC), uma organização fundada pela norte-americana Humanity United, mostrou que os esforços da maioria das empresas de alimentos e bebidas está aquém da resolução do problema.

A pesquisa revelou que a Coca-cola, uma das 10 companhias globais analisadas pela KTC, se comprometeu com a realização de 28 estudos em nível nacional sobre trabalho infantil, trabalho escravo e direito à terra, que se relacionam com suas cadeias de suprimentos de açúcar, até 2020.

A gigante de bebidas dos EUA disse que vem explorando múltiplos projetos de blockchain há mais de um ano.

Expertise e proteção trabalhista fornecido pelo Departamento de Estado

Brent Wilton, o diretor geral de direitos trabalhistas da Coca-cola, informou ao Reuters que “Estamos fazendo parceria com o piloto desse projeto para aumentar a transparência e a eficiência da verificação de processos relacionados às políticas trabalhistas em nosso supply chain”.

O novo empreendimento destina-se a criar um registro seguro para trabalhadores e seus contratos usando a validação do blockchain e as capacidades do livro-razão, destacou a Blockchain Trust Acceleration (BTA), uma organização sem fins lucrativos envolvida no projeto.

O BTA é uma plataforma global que aproveita a tecnologia para gerar impacto social.

“O Departamento de Estado está animado para trabalhar nesse projeto piloto inovador baseado em blockchain”, disse o vice-secretário Scott Busby, observando que mesmo que o blockchain não possa obrigar as empresas ou autoridades a respeitar contratos de trabalho, pode criar uma cadeia de evidências válidas que incentivará o cumprimento do acordo.

Fonte: Reuters