Mercado Tecnologia

Tecnologia Blockchain encontra seu lugar na Fórmula 1

Postado por em 9 de maio de 2018 , marcado como , , , , ,

Como uma das principais equipes de Formula 1 do mundo, a Williams depende de novas e aprimoradas tecnologias para se manter na elite do automobilismo. Pensando nisso, a equipe anunciou sua intensão de aderir à tecnologia blockchain a fim de obter vantagens competitivas.

(Foto: Pixabay)

Desde sua fundação por Frank Williams, em 1977, a equipe venceu 16 campeonatos mundiais de Fórmula 1 e registrou 114 vitórias.

Com 1 bilhão de espectadores, o time agora investiga a possibilidade de implementar a tecnologia blockchain a partir da associação com a empresa desenvolvedora de sistemas blockchain, Omnitide.

Segundo publicação oficial da equipe, “A Omnitude fechou uma parceria de muitos anos com a Williams e sua marca estará sobre os pilotes e a equipe sênior do GP da Espanha.

O logotipo da empresa também aparecerá no ambiente da equipe e no carro durante o Grande Prêmio da Espanha e Mônaco”.

Primeiro lugar no pódio

A Williams é a primeira equipe de Fórmula 1 a anunciar o uso da tecnologia distribuída, embora no ano passado a criptomoeda Jetcoin tenha se tornado a principal patrocinadora do Sky Grande Prix, durante o tornoio noturno de Cingapura.

Enquanto isso, na semana passada, as montadoras BMW, Ford, General Motors e Renault se juntaram com parceiros do setor de blockchain e outras indústrias para lançar o Mobility Open Blockchain Initiative (MOBI).

O projeto visa explorar a tecnologia para tornar o transporte mais seguro, confortável e acessível.

“O blockchain e as tecnologias relacionadas à confiança estão prontas para redefinir a indústria automotiva e a forma como os consumidores compram, mantém e usam seus veículos”, comentou Chris Ballinger, presidente e CEO da MOBI e ex-diretor financeiro e de mobilidade do Instituto de Pesquisa da Toyota.

Fonte: Cryptonews