Mining

Blockchain: cofundador do Google, Sergey Brin, revela ser um minerador do Ethereum

Postado por em 9 de julho de 2018 , marcado como , , , , ,

Sergey Brin, presidente da Alphabet Inc – holding que gerencia o Google – revelou, no Blockchain Summit, no Marrocos, que está minerando Ethereum com seu filho de 10 anos. Ele também afirmou que o conceito de prova de conhecimento zero é “realmente incompreensível”.

Blockchain: Cofundador do Google, Sergey Brin, revela ser um minerador do Ethereum

(Foto: Pixabay)

Prova de conceito zero

A prova de conhecimento zero é um princípio da criptografia que possibilita uma parte provar para outra que uma declaração é verdadeira, sem no entanto revelar qualquer coisa além da veracidade da informação.

Essa tecnologia é utilizada por criptomoedas como a Zcash, para ativar recursos de privacidade nos quais os usuários podem ocultar as informações da transação e, ao mesmo tempo, proteger a rede em um livro-razão público.

Brin ainda creditou à mineração Ethereum um papel central no recente “boom na computação”, que está ajudando a impulsionar um “renascimento tecnológico”.

Conforme ele escreveu em uma carta para investidores, em maio deste ano:

“Há vários fatores em jogo nesse boom da computação. Primeiro, é claro, o constante burburinho em torno da lei de Moore. O segundo fator é a grande demanda, derivada de gráficos avançados em jogos e, surpreendentemente, dos algoritmos de prova de trabalho compatíveis com o GPU [Unidade de Processamento Gráfico] encontrado em algumas das principais criptomoedas de hoje, como o Ethereum”.

 Gigantes enaltecem o blokchain

Apesar da admiração de Sergey Brin pelas moedas digitais, o Google anunciou uma política que bane a propaganda de criptomoedas, em março desde ano. A medida está em vigor desde junho.

Por outro lado, várias empresas de tecnologia estão explorando o blockchain para potenciais casos de uso em suas plataformas.

O Facebook recentemente nomeou um novo diretor de engenharia para sua divisão de blockchain e reverteu sua proibição de publicidade sobre criptomoedas, permitindo que anunciantes pré-aprovados anunciem na rede social.

A Amazon, IBM e Microsoft são algumas das gigantes que oferecem soluções corporativas baseadas em blockchain e receberam patentes para desenvolver aplicativos baseado na tecnologia distribuída.

Fonte: CCN