Investimentos Negócios Regulamentação

Após transferência da Binance para Malta, o país europeu quer se tronar a “Ilha Blockchain”

Postado por em 26 de março de 2018 , marcado como , , , , , , , , ,

Esta semana a Binance, maior exchange de criptomoedas do mundo com 1.7 bilhões de dólares, transferiu sua sede para Malta, uma região que sempre foi amigável às empresas e investidores de moedas digitais e blockchain.

Malta, a nova Ilha Blockchain

(Foto: Pixabay)

Além de transferir seu atual time para o país do mediterrâneo, a Binance decidiu empregar mais de 200 funcionários em tempo integral, com o objetivo de estabelecer totalmente a empresa na região.

Para qualquer startup multibilionária como a Binance, a realocação da sede vem com dificuldades, especialmente no que diz respeito aos conflitos financeiros e regulatórios.

Porém, foram as atitudes pró-blockchain das autoridades de Malta que deram confiança a Biance para realocar sua equipe de negócios para o país, posicionando-o na vanguarda do crescimento das criptomoedas.

Malta: a Ilha Blockchain

Silvio Schembri, secretário parlamentar de Serviços Financeiros, Economia Digital e Inovação, declarou em uma entrevista que o país continua confiante no trabalho que está sendo feito no setor de criptomoedas. Ele ainda enfatizou que a presença da Binance permitirá que o território maltês se transforme na “Ilha Blockchain”.

“Este é um claro voto de confiança em nosso país e no trabalho que vem sendo feito no setor, principalmente no que se refere as últimas políticas lançadas para oferecer uma estrutura regulatória sobre as operações de Tecnologia de Registro Distribuído (DLT)”, comentou o secretario parlamentar.

Ele acrescenta que cada vez mais Malta se transforma em um ponto de referência na esfera internacional e, para ele, empresas como a Binance continuaram a expandir suas operações ou estabelecer bases no país.

“A presença da Binance sustenta nossa visão de tornar Malta ‘A Ilha Blockchain’”.

Em um comunicado oficial, o time da Binance pontuou que as regulações e legislações favoráveis ao blockchain existentes em Malta convenceram a empresa a investir no país europeu, após visitar e avaliar várias outras regiões.

O CEO da Binance, Changpeng Zhao, mais conhecido como CZ, afirmou que a equipe da Binance se inspirou na natureza e lógica progressista de Schembri e do restante do governo maltês.

“Após uma reunião com o secretario parlamentar, Silvio Schembri, nós ficamos impressionados com o pensamento inovador e de liderança daqui. Depois de analisarmos a proposta de um projeto de lei de regulamentação, estamos convencidos de que Malta será o próximo berço para as empresas inovadoras de blockchain e um centro do ecossistema blockchain na Europa. A Binance está empenhada em emprestar sua experiência para ajudar a moldar uma estrutura regulatória saudável, além de fornecer fundos para outras startups de blockchain para o crescimento da indústria de Malta”, comentou Zhao.

Influência para outras regiões

Recentemente, as autoridades sul-coreanas começaram a discutir a possibilidade de legalização das ICOs, depois que o grupo Kakao, o maior conglomerado de internet do país – com quase 90% de participação do mercado – revelau seus planos de mudar o empreendimento de blockchain da Coreia do Sul.

Inevitavelmente, startups e conglomerados multibilionários se mudarão para regiões equipadas com legislaturas a favor do blockchain e lideradas por governos com visão de futuro.

A calorosa acolhida de Malta às empresas de criptomoedas e aasas de câmbio, provavelmente influenciará outras regiões, como o Japão e a Coreia do Sul, a continuarem investindo em regulamentações sólidas que garantam o crescimento exponencial desse mercado sem conflitos com a legislação.

Fonte: CCN