Geral

Ações pagadoras de dividendos são oportunidade, dizem especialistas

Postado por em 24 de August de 2021 , marcado como

Ibovespa Futuro volta a marcar 119 mil pontos, dólar cai e semana de perdas na Bolsa podem ser oportunidade para investidores

O Ibovespa Futuro opera em alta na manhã desta terça-feira (24), reagindo após as quedas recentes em um dia positivo no mercado exterior, com destaque para os Estados Unidos, onde os índices futuros seguem o ânimo dos investidores pela aprovação completa da vacina da Pfizer. Na Europa o movimento dos índices é misto. 

Investidores estão com a atenção voltada para o simpósio Jackson Hole, que acontece no fim da semana. No evento, autoridades do Federal Reserve, banco central americano, devem apresentar os planos para reduzir os estímulos monetários. 

O Federal Reserve já deu início às conversas para desacelerar o seu programa bilionário de compra de títulos no final do ano. O programa vem injetando em média US$ 12o bilhões por mês nos mercados. Jerome Powell, presidente do Fed, realiza discurso na sexta-feira (27).

O pregão foi positivo na China após a retomada do interesse dos investidores por como comprar ações, especialmente ações do setor de tecnologia. Isso aconteceu após o cerco do governo ter pressionado os preços dos ativos. 

Enquanto isso, as commodities tem sessão de alta, aliviando as quedas recentes do mercado, principalmente sobre o minério de ferro, que tem pressionado a Vale e outras empresas siderúrgicas nos últimos dias.

No Brasil, a atenção continua voltada para as notícias do cenário político e fiscal. O evento Expert XP 2021 conta com discursos de Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, e de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. Ainda nesta terça-feira (24), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sabatina o procurador-geral da República, Augusto Aras, por mais dois anos exercendo o cargo.

O contrato futuro do Ibovespa com vencimento em outubro de 2021 registrou às 9h08 (horário de Brasília) alta de 1,01% a 119.215 pontos. Por outro lado, o dólar comercial opera em queda de 0,48% a R$ 5,355 na compra e R$ 5,356 na venda, enquanto o dólar futuro com vencimento em setembro registra baixa de 0,50% a R$ 5,361.

Nos juros futuros, DI para janeiro de 2022 cai três pontos-base a 6,70%, DI para janeiro de 2023 tem queda de sete pontos-base a 8,48%, DI para janeiro de 2025 registra recuo de oito pontos-base a 9,72% e DI para janeiro de 2027 marca variação negativa de nove pontos-base a 10,14%.

Na Ásia, as bolsas fecharam a terça-feira em alta, impulsionadas pela aprovação da vacina desenvolvida em parceria entre BioNTech e Pfizer, com destaque positivo para bolsa de Hong Kong.

As bolsas europeias oscilam entre leves altas e perdas após subirem mais cedo. A movimentação também é impulsionada pela aprovação da vacina da BioNTech e Pfizer, além da redução dos temores em torno do corte de estímulos pelo Federal Reserve.

O Escritório Federal de Estatísticas divulgou o PIB ajustado para os efeitos sazonais da Alemanha, que cresceu 1,6% no segundo trimestre. O avanço ficou acima da estimativa anterior de 1,5%.

A agência internacional de notícias, Reuters, informou que o G7, grupo que reúne as sete maiores economias de países desenvolvidos do mundo, deve se reunir ainda esta semana para a decisão sobre o reconhecimento do governo do Taleban no Afeganistão, ou se devem ser impostas sanções à organização.

Ações recomendadas da semana

O mercado de ações brasileiro vem de uma semana de perdas, com mais quedas no deteriorado cenário econômico. Esse movimento negativo se dá pelos temores sobre os efeitos da variante delta do coronavírus, instabilidade no cenário político, crise fiscal, alta da inflação, possível retirada dos estímulos econômicos dos Estados Unidos, queda do minério de ferro, além das medidas regulatórias em tecnologias a serem implementadas pelo governo chinês.

O cenário é desafiador, mas pode ser uma oportunidade para os investidores, já que as ações apresentam queda nos preços de compra mas potencial de geração de valor atrativo.  Os movimentos que podem se destacar e serem beneficiados com a movimentação, são bons pagadores de dividendos, como empresas dos setores elétrico, petrolífero, financeiro e de saneamento. 

Já as empresas que atuam com exportação ganham com a alta do dólar, como o setor de papel e celulose. Empresas favorecidas pelo câmbio tem fluxo de caixa sólido e desalavancagem rápida, se tornando outra boa opção para os investidores neste período. Lembrando que é fundamental diversificar a carteira de ações para garantir maior segurança e proteção nos investimentos, prevenindo altas perdas durante os períodos em que a bolsa opera em queda.

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!