Mercado

42% das melhores universidades do mundo já oferecem curso sobre criptomoedas e blockchain

Postado por em 29 de agosto de 2018 , marcado como , , , , , ,

42% das principais universidades de todo o mundo estão oferecendo, pelo menos, um curso de blockchain ou criptomoedas. Foi o que descobriu uma pesquisa encomendada pelo banco de moedas digitais e exchange, Coinbase.

(Foto: Pixabay)

Com o intuito de analisar a temperatura do mercado de ativos digitais em longo prazo, a casa de câmbio se uniu à agência de pesquisa, Qriously, para contabilizar o investimento educacional em cursos sobre blockchain e criptomoedas. Foram analisadas as 50 melhores universidades do mundo – classificadas de acordo com o ranking do US News & World Report.

Desse montante, quase metade das instituições já ofertam algum tipo de matéria sobre o ecossistema cripto. E, como explica a Coinbase, “estudantes de diferentes áreas estão curiosos sobre o tema” com 25% do corpo discente demonstrando interesse em ter aulas em qualquer uma das disciplinas. A pesquisa foi feita com 675 alunos de 50 universidades internacionais.

Um professor de uma escola de administração nos EUA pontuou que, em questão de apenas quatro anos, o número de estudantes matriculados em sua classe sobre blockchain aumentou de 35 para 230, o que representa um crescimento de 6 vezes.

Demanda do mercado

O diretor do departamento de finanças da Stern School of Business, da Universidade de Nova York, David Yermack, observou que “Está em andamento um processo que levará a migração da maioria dos dados financeiros para organizações financeiras baseadas em blockchain. Os estudantes se beneficiarão muito ao estudar a área”, defende.

Ele acredita que o aumento do interesse dos estudantes foi incentivado não apenas pelo desenvolvimento da nova tecnologia, mas também porque cada vez mais empresas estão procurando por habilidades relacionadas às criptomoedas e blockchain.

Outro ponto notável da pesquisa, foi a descoberta de que a curiosidade sobre o tema não se restringe aos estudantes das áreas tecnológicas, mas também abrange alunos das ciências humanas.

Dawn Song, professor de ciências da computação da Universidade da Califórnia, em Berkeley, ressaltou que “a blockchain combina teoria e prática e pode levar a inovações fundamentais em muitas áreas de pesquisa. Podendo provocar impactos realmente profundos e de larga escala na sociedade e em variadas indústrias”.

Troca de ideias

Os Estados Unidos lideram o grupo das ofertas, já que apenas “cinco das 18 universidades internacionais da lista, ou 27%, oferecem pelo menos uma turma de blockchain ou criptomoedas”, destaca o relatório. Acrescentando que somente duas – a Universidade de Singapura e o Instituto Federal Suíço de Tecnologia – oferecem mais de um curso.

A campeã de ofertas é a Universidade de Standford com 10 matérias sobre o tema.

Dan Boneh, professor de ciências da computação de Standford, mencionou que toda vez que ele conversa com alguém do grupo de pesquisa, ele se vê indo embora com três novas ideias para investigação. “Há novas questões técnicas sendo levantadas por projetos de blockchain que, de outra forma, não funcionariam”, diz ele.

Fonte: BitcoinNews