Geral

Metaverso: NFTs em jogos e arte são a chave para nova economia digital

Postado por em 23 de September de 2021 , marcado como

Um NFT é uma prova baseada em blockchain de propriedade de ativos digitais que não pode ser substituída por outra coisa (um ativo não fungível).

O conceito está ganhando força rapidamente no campo das artes, jogos e entretenimento, com NFTs usados ​​como representações digitais da propriedade de artes, música, videoclipes do mundo real e até itens de jogos que geralmente estão disponíveis em quantidades limitadas.

Esses NFTs são cruciais na construção de uma economia virtual, ou uma nação digital, no metaverso, principalmente devido à segurança que os NFTs garantem aos proprietários em um ambiente onde as transações de ativos de propriedade digital são feitas entre avatares.

Jogos NFT: um dos jogos mais conhecidos é o Axie Infinity

Um jogo que adotou NFTs para construir uma nação digital é o jogo para ganhar Axie Infinity, desenvolvido pela Sky Mavis.

Os usuários podem criar Axies, monstros semelhantes aos Pokémons nesse jogo, ou vencer monstros oponentes em batalhas para ganhar recompensas em criptomoedas. Cada um desses Axies é um NFT, único de cada jogador.

Segundo Jeffrey Zirlin, cofundador da criadora do Axie Infinity, eles acreditam “que Axie é sobre liberdade econômica”.

De acordo com o cofundador, o segredo do sucesso do jogo é que eles usam “criptomoedas e blockchain para transformar o jogo em uma verdadeira economia digital”.

NFTs movimentam a economia com modelo play-to-earn

O conceito “play-to-earn” (jogar para ganhar) ganhou enorme popularidade recentemente, com usuários ativos diários do jogo Axie Infinity aumentando de 30.000 em abril para mais de 1 milhão em agosto. A receita da empresa nos últimos 30 dias disparou para $ 149 milhões de dólares.

Através do Axie Infinity, há pessoas no mundo inteiro ganhando dinheiro jogando este jogo. Além disso, há inclusive relatos de pessoas que abandonaram seus empregos para se dedicar ao jogo. Um exemplo disso é no caso do Axie Infinity Scholarship.

Questionado sobre seus pensamentos sobre boatos de que o governo das Filipinas iria começar a tributar a renda feita por jogadores do Axie Infinity, um dos fundadores disse que a desenvolvedora do jogo orienta aos usuários cumprir as leis de seus países.

The Sandbox também usa NFTs para moldar o mundo do metaverso

The Sandbox, lançado em 2012, é um jogo popular que permite a máxima liberdade de seus jogadores com potencial como um espaço metaverso.

Assim como o Axie Infinity, ele permite que os jogadores construam seus próprios jogos e criem seus próprios avatares. Além disso, The Sandbox tem lotes de terrenos digitais que podem ser comprados e vendidos com dinheiro, como imóveis no mundo físico.

De acordo com Sebastien Borget, COO e co-fundador do The Sandbox, o jogador “começa possuindo terras e pode criar NFTs e monetizá-los no protocolo blockchain Ethereum.”

“Aqui, você joga para ganhar. Você pode mudar o tempo de jogo e recursos conforme você completa cada missão e alcança a vitória dentro do jogo. Você pode então vendê-los no mercado e assumir a propriedade”, afirma ele.

Segundo o cofundador, o futuro dos jogos será os jogadores se apropriarem dos ativos e da moeda ganhos dentro dos jogos, algo que já vêm acontecendo através do aumento dos jogos NFT.

Ao contrário dos jogos tradicionais, em que o dinheiro é gasto nos jogos, mas não é devolvido ao mundo real, os jogadores se beneficiam financeiramente do tempo investido jogando os jogos.

Borget afirma ainda que “muitas oportunidades de emprego estão no The Sandbox, desde o design de shows virtuais, moda, arquitetura até agentes imobiliários e guias turísticos. Aqui tudo é mais do que uma ideia. Quem gasta tempo obtém receita por meio das atividades e dos jogos.”

O objetivo final do Sandbox é dar um senso de governança a seus usuários. Ao possuir terras e obter lucros maiores com suas atividades, os usuários passam mais tempo na plataforma e isso retorna a mais motivos para outros participarem.

NFTs crescem também fora dos jogos através de aplicações diversas

Os NFTs também são usados ​​fora do mundo dos jogos, como o Theta Labs, que incentiva as pessoas a compartilhar sua banda larga e armazenamento de memória em troca de NFTs.

Theta Labs é uma rede de distribuição de vídeo que usa tecnologia blockchain. Ela opera sua própria plataforma de transmissão ao vivo Theta TV.

Mas, acima de tudo, fornece a outras operadoras de plataforma de vídeo a tecnologia para reduzir seus custos de transmissão usando a largura de banda restante de suas conexões de internet ou o armazenamento de memória que os usuários têm em seus dispositivos, sejam eles telefones celulares ou computadores.

Os usuários, por outro lado, obtêm incentivos para compartilhar seus ativos de dados remanescentes, ganhando NFTs de conteúdo como recompensa.

Segundo Wes Levitt, chefe de estratégia do Theta Labs, “no AirBnB, você pode compartilhar uma habitação não utilizada, ou Uber, você pode usar veículos não utilizados para melhorar a eficiência do uso”.

De acordo com ele, Theta Labs é uma aplicação inovadora com NFT pois também é um jogo. Com Theta, você pode usar e monetizar sua largura de banda não utilizada ou capacidade de computação em qualquer dispositivo. Os usuários ganham a criptomoeda como um incentivo para contribuir com qualquer fonte que outros usuários possam usar.

NFTs também estão presentes no mundo das artes e atingem recordes em leilões de arte

Os NFTs também podem ser usados ​​para criar novas comunidades de artistas e fãs, algo que ironicamente é mais difícil de visualizar no mundo real.

Com o uso de NFTs, leva meros segundos para os artistas terem seus trabalhos vendidos em protocolos de blockchain.

Em vez de criar uma obra, esperar que ela seja exibida em uma galeria e várias semanas ou meses até que um comprador venha e receba feedback por meio de artigos de notícias ou de outros colecionadores, vender diretamente aos consumidores online e ver sua reação dá aos artistas a energia necessária para criar mais trabalho.

Os NFTs no mundo da arte não apenas evitam a pirataria ou falsificação para os criadores, mas também atuam como um recibo digital não hackeável que prova a propriedade de uma obra para colecionadores.

Após a compra de um NFT, uma comunidade também é formada em torno dele, agregando novo valor à obra de arte.

No passado, o discurso era sobre o que os artistas faziam e quanto eles vendiam. Agora, as conversas são sobre  a comunidade formada em torno desses artistas e suas obras, e quais histórias são geradas depois com base nisso. Os NFTs são a chave para gerar valor e narrativa dos artistas.

Siga o Criptoeconomia nas redes sociais!