Mercado Tecnologia

Índia estuda adotar criptomoeda para economizar US$ 90 milhões com impressão de dinheiro

Postado por em 30 de agosto de 2018 , marcado como , , , ,

O Banco Central da Índia está pesquisando maneiras de como introduzir uma espécie de criptomoeda apoiada pela Rúpia. O objetivo é reduzir os custos anuais com a cunhagem de dinheiro físico.

(Foto: Pixabay)

A notícia foi revelada no relatório anual do Reserve Bank os Índia (RBI), publicado na quarta-feira, que pontuou a formação de uma unidade interdepartamental para estudar a “viabilidade de introduzir a Moeda Digital do Banco Central (CBDC)”.

O esforço surge em resposta ao contexto de rápidas mudanças dos pagamentos digitais e aos “custos crescentes de administração de papel/moeda fiat”, comentou o banco.

Em uma reportagem divulgada hoje no Economic Times, foi revelado ainda que a previsão de custos com impressão de notas para 2018, será de 90 milhões de dólares.

Embora o RBI não tenha revelado se a CBDC será movida pela tecnologia blockchain, a organização alegou que a utilização da tecnologia de contabilidade distribuída (DLT), em soluções de pagamentos e liquidações, “mantém a promessa de benefícios econômicos significativos no futuro”.

Postura rígida permanece

Enquanto isso, em contrate ao seu apoio à adoção da DLT em nível estadual, o RBI ratificou sua posição rígida sobre o comércio de criptomoedas, que estão proibidas de serem negociadas no país.

“O desenvolvimento nessa frente precisa ser monitorado, já que algumas transações podem transformar as exchanges para o modo peer-to-peer, o que pode envolver um aumento no uso do dinheiro”, alertou o RBI, acrescentando:

“Possibilidade de migração de casas de câmbio para redutos obscuros de dinheiro e locais offshore, aumentam, assim, as preocupações sobre questões anti-dinheiro e tributações, [por isso] exigem uma vigilância estreita”.

Desde que o RBI baniu as contas bancarias das exchanges, em julho desse ano, as bolsas locais vêm adotando vários métodos que possibilitem novos modelos de receitas, incluído a mudança de foco dos negócios para transações peer-to-peer.

Fonte: Coindesk