Mercado

Criptomoedas: Binance desbanca instituições financeiras tradicionais e lucra US$ 200 milhões

Postado por em 30 de abril de 2018 , marcado como , , , , , , , , , , ,

No primeiro trimestre deste ano, o Deutsche Bank, o maior banco da Alemanha e uma das principais instituições financeiras da Europa, registrou um lucro de US$ 146 milhões. No mesmo período, a Binance, maior casa de câmbio de criptomoedas do mundo, lucrou aproximadamente US$ 200 mil.

Ou seja, com 200 funcionários, a Binance, uma startp de criptomoedas em atividade há apenas 8 meses, desbancou um gigante financeiro de 148 anos, responsável por empregar 100 mil colaboradores.

Criptomoedas: Exchange Binance lucra mais que grandes bancos mundiais

(Foto: Pixabay)

A posição alcançada pela Biance foi comemorada em um comunicado do CEO da startup, Changpeng Zhao, mais conhecido no ecossistema das criptomoedas como CZ:

“A Bianance é a maior exchange de criptomoedas do mundo. Nos primeiros três meses de atividade, o lucro contabilizado foi de 7 milhões e 500 mil dólares. No segundo trimestre fomos para 200 milhões de dólares. O terceiro ainda está em progresso e espera-se que tenha um crescimento ainda maior. Qualquer país que atraia uma agência local da Binance receberá uma boa quantia em impostos”.

Para Malta, novo lar da startup, a transferência é um ganho sem precedentes.

Devido a taxa de crescimento exponencial da Biance, e o rápido movimento do mercado de criptomoedas, a motivação do governo em abraçar a indústria de moedas digitais é bastante justificável.

Christian Sewing, novo CEO do Deutsche Bank, afirmou que o banco se afastará dos fundos de cobertura e se concentrará na estabilização de áreas onde o banco ainda é dominante.

A partir de um plano de reestruturação, que custará US$ 800 milhões e um corte maciço de funcionários, o banco pretende gerar lucro até o final de 2018.

Futuro da indústria de criptomoedas

A avaliação do mercado de criptomoedas está atualmente em torno de US$ 400 bilhões, o que é menor do que os limites de mercado do HSBC e JPMorgan juntos.

Mas o mercado de criptomoedas ainda está no estágio inicial, principalmente se for considerado que o Bitcoin reinou sozinho entre 2009 e 2015 até a criação do Ethereum. Dessa forma, o ecossistema de criptomoedas tem menos de cinco anos de idade.

O fato de startups com cerca de 200 mil funcionários terem atingido o valor de vários bilhões de dólares – e terem superado grandes bancos como o Deutsche Bank em lucratividade – é um indício de desenvolvimento saudável de longo prazo do mercado de criptomoedas.

Assim como a Binance foi capaz de superar o maior banco da Alemanha, em menos de 8 meses de existência, especialistas acreditam que é possível que os negócios envolvendo criptomoedas assumam o controle da indústria financeira global nas próximas duas décadas.

A taxa de crescimento exponencial do mercado mostra, segundo investidores como Tim Draper e Peter Thiel, a possibilidade do Bitcoin alcançar o preço de milhões de dólares.

Foto: CCN