Casos de uso Tecnologia

Centro educacional nas Bahamas lança diploma digital hospedado na blockchain

Postado por em 27 de agosto de 2018 , marcado como , , , ,

Os estudantes recém-formados nas Bahamas agora contam com a conveniência da tecnologia blockchain para validar seus diplomas.

(Foto: Pixabay)

A iniciativa faz parte do Bahamas Blockcerts, projeto nacional que visa implementar um sistema de credenciamento em todo o país.

Por meio desse certificado digital credenciado, o governo caribenho pretende aumentar a segurança dos dados fornecidos e diminuir a burocracia no momento das contratações.

Por exemplo, um hotel que esteja contratando poderá verificar a formação do candidato à vaga a partir do sistema de credenciamento, evitando, assim, a conferência de um apanhado de outros documentos que comprovem as suas competências e habilidades.

Os primeiros certificados digitais do Bahamas Blockcert foram emitidos pela Agência Nacional de Treinamento (NTA), no final de junho, para 78 participantes de um curso sobre o mercado de trabalho.

Mecanismo

Os participantes da iniciativa armazenam seus diplomas em um aplicativo móvel, consistindo, basicamente, em um conjunto de URLs que identificam, de forma exclusiva, cada certificado digital que um indivíduo recebeu.

No lugar dos certificados de papel, tudo o que os usuários precisam fazer é adicionar os links aos seus currículo.

Esses links também podem ser enviados para possíveis empregadores, que poderão visualizar e verificar a autenticidade dos certificados digitais.

Atualmente a NTA é única instituição a emitir o documento armazenado na blockchain, embora o plano seja expandir o projeto para outras entidades educacionais – a exemplo da Universidade das Bahamas – bem como para os setores de licença comercial e conformidade fiscal.

“Nós conduzimos a iniciativa com a NTA, mas o objetivo é que o Bahamas Blockcerts seja parte da estratégia nacional de blockchain do governo”, ponderou o ministro do trabalho, Dion Foulkes. “Estamos falando sobre usar a tecnologia para a segurança dos cidadãos, melhorar o registro de terras e uma série de outras iniciativas”.

Medidas semelhantes, destinadas a simplificar a verificação de certificados educacionais, já estão ocorrendo em outras partes do mundo. A instituição francesa Leonardo da Vinci e a Escola de Engenharia Holberton, localizada na Califórnia, são alguns exemplos.

Em ambos os casos, o uso da blockchain se mostrou mais seguro, mais barato e eficiente, quando comparado aos métodos tradicionais de verificação.

Fonte: CCN