Mercado

Binance amplia suas operações e abre sua primeira exchange de criptomoedas na África

Postado por em 29 de junho de 2018 , marcado como , , ,

A maior bolsa de criptomoedas do mundo, a Binance, abriu suas portas na África para oferecer, pela primeira vez, um par de negociação fiat-cripto com o xelim ugandês.

Binance amplia suas operações e abre sua primeira exchange na África

(Foto: Pixabay)

Em um comunicado na quinta-feira, a empresa anunciou o lançamento de sua primeira exchange no país. A bolsa inclusive já começou a aceitar registros de novos usuários antes do lançamento da negociação.

Como é normal com qualquer lançamento de uma casa de câmbio, a Binance está adotando novos usuários com taxas de negociação zero por um mês, após o lançamento da negociação.

Além disso, a exchange está incentivando os primeiro 20 mil usuários recém-registrados com moedas no valor de 0,5 binance (BNB), o token utility com mesmo nome da operadora de câmbio.

Com limitação de compra de 10 mil BNB por usuário, a promoção é distribuída por ordem de chegada e os investidores poderão retirar seus tokens após os requisitos de verificação sob as normas da KYC de identificação e due diligence, acrescentou a empresa.

Mercado promissor

O acesso dos ugandenses aos serviços financeiros registrou saltos rápidos nos últimos anos, impulsionados pela inclusão digital por meio de uma ampla adoção de plataformas móveis de dinheiro.

De acordo com notícias do Banco Mundial, mais da metade da população adulta de Uganda agora tem acesso a um conta em um banco tradicional.

Esse número é quase o dobro em relação a 2009. Ainda assim, apenas 16% da população adulta mantem suas economias em instituições financeiras registradas, uma estatística que enfatiza a necessidade por maior inclusão.

A Binance, maior bolsa de criptomoedas do mundo por volume de negociação, foi fundada na China e estabeleceu sua bases de operações em Hong Kong, antes de realocar sua sede para Malta.

A ilha insular é conhecida por ser um ambiente regulatório favorável às criptomoedas, abordagem diferente da empregada por autoridades regulatórias como a do Japão e da própria Hong Hong.

No começo desse ano, a Binance também anunciou planos de lançar uma Exchange de criptomoedas descentralizada, para permitir que investidores comercializem moedas virtuais em um sistema peer-to-peer alimentado por servidores distribuídos, sem a necessidade de um terceiro para custodiar as moedas negociadas.

Fonte: CCN